A sensação de perder a si mesma

18 agosto 2013


Olhe só para ela, presa em seu próprio interior. Nunca na vida conseguiu ser ela mesma, por mais que ela o quisesse. Não sabe mais quem ela é. Não se conhece mais. Mudara tantas vezes na tentativa de se consertar, que acabou perdendo-se em si própria. Como poderia ela ser autêntica, se está tão confusa a ponto de não saber quem ela é?! O sentido de sua vida? Nem ela o sabe, está a procura. Todos os dias quando acorda, sente vontade de correr para longe. Onde ninguém possa encontrá-la, onde ninguém a possa ver ou ouvir. Deseja gritar, pirar, surtar. Quebrar coisas, arremessar objetos. Se libertar, sem ser julgada por isso. Sente uma necessidade quase destruidora de viajar, ou ir embora, para encontrar a si própria. Está cansada de viver sob censuras. Escuta o dia inteiro, pessoas impondo o dever de ser sincera. Mas eles mesmos criam regras proibindo-a. Nunca pôde ser, nunca pôde ver. “O que aconteceria se ela dissesse ou fizesse o que realmente quer?”. Medo, insegurança, timidez, regras de conduta, todos escondem a resposta. Tudo isso impediu ela de obter o mínimo de transparência necessário para se viver bem e feliz. Diariamente, ela parece ser espontânea. Mas na verdade, está apenas disfarçando um enorme emaranhado. Um emaranhado invisível e secreto, que ninguém nunca irá ver. Irá um dia encontrar o verdadeiro sentido de sua existência? Ela está mesmo no caminho certo? Será que um dia ela realmente será feliz? O que é o estado normal que todos repetem dia após dia? São as dúvidas que pairam em sua mente, em madrugadas de insônia que ela não sabe controlar.E lá está ela, sendo sufocada por pensamentos insanos, e aliviando-os em um mísero texto. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!