A importância de ler para uma criança

26 setembro 2013


Ultimamente na TV, tenho visto alguns comerciais publicitários, dizendo que "ler para uma criança muda o mundo", isso é uma coisa que ao bater dos olhos parece tão simples, que a pessoa começa a duvidar se é mesmo verdade. Ela observa a propaganda com um olhar de descaso, e pensa para si mesma: "grande coisa, nem muda nada, é só uma criança, um pai idiota perdendo tempo, e um livrinho infantil, que grande mudança isso pode trazer? Nenhuma!". Como nenhuma? Veja bem, vamos pensar um pouco mais e analisar os pormenores da questão antes de deixar que as palavras nos escapem dos lábios. Ao ler para uma criança, os pais estarão incentivando desde cedo o gosto pela leitura, e a leitura é um presente e tanto para o desenvolvimento intelectual de uma pessoa, pois ao ler, ela está se colocando no lugar de determinado personagem e vivendo a história com ele, por exemplo: já aconteceu de você estar tão apaixonada pela aventura de um livro, a ponto de querer trazer isso para a vida real e não conseguir parar de ler, pelo simples fato de sentir-se um dos personagens? Já aconteceu de você se identificar com um personagem, ou admirar ele, e ficar indignado com algo que ele faça algumas páginas depois, ou com algo injusto que aconteça com ele? Lógico que sim, todo leitor passa por isso, e são momentos como esse que despertam o senso crítico, a necessidade de expressar-se aumenta cada vez mais, a ponto de o interlocutor não se contentar com os livros, e querer escrever o que pensa do mundo também. Ele quer aprender mais, se apaixona por tudo o que descobriu durante a leitura, se impressiona com a identificação que ele ganha com o autor, quanto mais ele aprende, mais ele quer aprender, e é assim que ele começa a escrever sua própria história, metaforicamente. De leitor para leitor, o mundo vai evoluindo, a taxa de empregados pode até mesmo aumentar, e ao invés de sobrar vagas no mercado como sobram agora, um dia as mesmas podem faltar, para a alegria de uns e desespero de outros!
Ou seja, ler para uma criança não é tão inútil como lhe pareceu ao assistir a esse tipo de anúncio, até mesmo apelativo, pois se não me falha a memória, a propaganda era de um refrigerante, de um banco, ou algo assim, se for do banco talvez não seja tão nada a ver assim, mas isso já me faz fugir do assunto. Quando eu era pequena, antes mesmo de aprender a ler (quando eu tinha mais ou menos uns 3 anos de idade), meu pai tinha o costume de ler para mim, e é claro que eu ficava encantada com as histórias, com as figuras, com o enredo, e com o final feliz que as historinhas infantis sempre me ofereciam. Isso fazia com que eu quisesse aprender a ler antes mesmo de entrar no maternal, pois assim, eu não precisaria pedir para o meu pai que ele pegasse o livro e lesse para mim, no maternal, eu aprendi a ler, a escrever, e tal, o básico, se não me engano apenas o meu nome. Não era o suficiente, mas a partir da primeira ou da segunda série eu fui ficando mais satisfeita, por causa dos livrinhos que eu via na sala, e na biblioteca da escola, mesmo lendo enrolado, e possuindo uma má-caligrafia, eu gostava de ler para os meus pais, e inventar historinhas também, meio bobas na época, claro, eu tinha 7 anos, dá um desconto. Na terceira série, a minha professora não levava mais os professores para a biblioteca, mas eu já tinha adquirido uma enorme paixão pelas histórias, era uma história de amor, então muitas vezes no recreio, ao invés de brincar de pega-pega feito o moleque que eu era, eu preferia visitar a biblioteca e pegar algo para ler em casa, na sala de aula quando eu terminasse os exercícios... em todo lugar. Quanto mais eu lia, mais eu queria ler, passei a ler de tudo, desde revistas bobas, até artigos ou livros com conteúdo tão fascinante, que colocava as matérias de revistas no chinelo, a maioria das matérias, eram fúteis. Não tinham serventia alguma. Os anos foram passando, meu gosto pela leitura foi aumentando gradativamente, e por consequência, o gosto pela escrita, isso me levou a escrever textos na internet, me fez ficar curiosa, criar um blog. O blog me fez decidir que carreira profissional eu seguiria, e a vontade de fazer o que eu amo me fez planejar uma escadaria inteira, de um jeito realista, para eu conseguir o que eu quero. Ou seja, eu devo tudo isso ao hábito que meu pai tinha de ler para mim, e eu tenho fé de que se eu trabalhar duro eu vou conseguir o que eu quero! 
Para vocês verem como as coisas parecem inúteis de primeira, mas depois vamos refletindo e vendo que essas "coisas" têm uma importância bem maior do que nos parecia na primeira impressão, ler para uma criança pode ser a garantia de que ela seja mais intelectual, inteligente e esperta (não que eu esteja me vangloriando por adorar a leitura, mas é a realidade: quem lê frequentemente sempre vai ser mais inteligente do que quem nunca leu um livro na vida, é praticamente uma lei, enfim, continuando), essa escolha pode ser a garantia de que ela adquira um futuro melhor e se torne um orgulho para si, para a família, para os amigos e para as pessoas que com ela se relacionam, entre elas, o professor, e outros funcionários públicos. Meu pai provavelmente daria total apoio à frase do Bill Gates: "meus filhos terão computadores, mas antes terão livros". Concordo plenamente, pois antes de me mostrar o "mágico" paint do windows XP, ele me mostrou algo muito melhor: o mundo mágico da leitura, que faz qualquer um esperar muito mais da vida do que as outras pessoas. 

2 comentários:

  1. Olá! Olha, concordo com tudo que você disse... Então, não tenho filhas mas sempre que aparece um priminho novo na família eu os incentivo a ler haha
    Isso é muito importante, pois com a leitura você passa a ver o mundo de outra forma, assim como as pessoas. E se as crianças tiverem consciencia disso, teremos um mundo muito melhor.
    Adorei o blog, seguindo (:
    Beijos - http://otoemduvida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Resposta para Ó tô em dúvida:
    Nossa, que bom que você gostou, fico realmente muito feliz por você ter concordado. Se você continuar lendo para seus priminhos, pode mudar a vida deles assim como meu pai mudou a minha. ^ ^

    ResponderExcluir

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!