O Analfabeto Político

25 setembro 2013


















Outro dia (ainda neste ano), meu professor de filosofia distribuiu para a turma, uma folha com dois textos, entre eles, este:
" O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo da vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio, dependem das decisões políticas. O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multi-nacionais." (BRECHT, Beltolt)
Em uma noite de insônia, eu reencontrei a folha que continha esse e outro texto (o qual eu também li e pretendo postar sobre o mesmo outro dia). Perceba que a minha opinião, na verdade, já havia sido formada há muito tempo, o que aconteceu foi que, eu encontrei um conteúdo e me identifiquei com o que o mesmo dizia. 
Realmente, é muita burrice usar a imagem de um político corrupto como a justificativa para inutilizar a política, pois ela vai muito além de uma prefeitura, de uma câmara, ou de um senado. Ela não abrange apenas o governo e a administração de um país, a política está em toda a parte. Está na escola onde estudamos, na empresa onde trabalhamos, e até mesmo na conta que criamos em uma rede social, como o Facebook, por exemplo. Vou dar um exemplo do que é realmente a política: sabe quando você está feliz da vida, entrando no Facebook e nota que a sua conta não está logada, sendo que você sempre marca a opção "manter conectado"? Primeiramente você já fica nervoso, aí você tenta logar, erra a senha 500 milhões de vezes, começa a se desesperar achando que foi hackeado, e quando finalmente acerta, se depara com a seguinte mensagem: "suas solicitações de amizade estarão bloqueadas durante 30 dias", ou algo parecido. Você está tão irritado(a) com o acontecido, que nem lê o resto da mensagem, apenas marca qualquer coisa (obs.: querendo esganar alguém pra descontar a raiva), marca que concorda com as regras (mesmo não concordando), e segue adiante com sua vida. Mas alguém por acaso já reparou, que em uma parte da mensagem o site pede que você leia a "política de privacidade"? Provavelmente, sim, estou quase chegando ao cerne da questão, não quer dizer que ao clicar no link, você irá encontrar uma mensagem da Dilma te xingando e dizendo que não pode adicionar desconhecidos (óbvio), você irá encontrar as regras do site, que podem te impedir (ou não), de ver essa mensagem novamente. 

Ou seja, a política em si, não é ruim, ela nada mais é do que as regras necessárias para se viver numa sociedade minimamente civilizada e ética, com um pouco mais de segurança, e olha que o estado da segurança já é um caos, imagina como seria se não existisse política? Sem política, sem regras, ou seja, a palavra "crime" não existiria, pois as atrocidades que vemos no jornal não seriam consideradas nada demais, as pessoas matariam umas às outras apenas pelo simples fato de saber que sairiam impunes, e qualquer coisinha já levaria ao uso da violência. Quantas vezes você já ouviu alguém dizer, ou até mesmo já disse, a frase "só não te mato porque não quero ser preso(a)"? Pois é, na ausência de uma punição essas pessoas realmente matariam sem nem pensar duas vezes, num simples ato de frieza, ódio descontrolado e impiedade, havendo ou não o rancor como consequência. E se ela quisesse adquirir um produto? Ela pensaria: "Pra quê eu vou me matar trabalhando, se eu posso roubar o iphone da loja sem ser punido? Ou melhor, pra quê ir até a loja se eu posso simplesmente roubar do meu amigo? Eu nem me importo com ele mesmo!". Alguns irão me chamar de psicopata por falar assim da realidade, mas é bem assim que é, a política nos dá também uma noção de ética, fazendo com que busquemos o equilíbrio entre a razão e a emoção, preocupando-se não só com a fachada de "racionais", como também com a penalidade de nosso ato. Sem a política, ninguém se preocuparia com reputação. As pessoas matariam umas às outras apenas por ódio gratuito, sem motivo prévio, apenas por bater o olho e pensar "não gostei, não fui com a cara do(a) fulano(a), ele me irrita por causa disso, disso e disso". A vida em sociedade viraria uma verdadeira bagunça, recheada de conflitos patéticos que levariam a morte de várias pessoas, sem que ninguém possa fazer nada pra mudar isso, afinal, não tem política. Não é considerado errado. Ou seja, os assassinatos seriam tantos que acabariam levando à extinção da raça humana. 
Ou seja, essas pessoas que odeiam a política por causa dos políticos desonestos, estão completamente erradas e nem sabem, mas é por causa da ignorância delas que o Brasil não vai pra frente, se as pessoas mantivessem a mente mais aberta, poderiam causar uma revolução começando por si mesmas, pois aquele aluno mais estudioso seria visto como uma referência por todos os outros alunos por causa de sua inteligência, fazendo com que a turma se interessasse nos livros. Mas como elas mantém a mente fechada, acabam tornando-se o brinquedinho dos políticos que elas mesmas esculacham se "achando", não acho que elas precisem participar de grandes manifestações para provar que entendem do assunto, até mesmo porque elas não entendem, estariam apenas berrando frases aleatórias sem sequer saber do que estão falando, o ideal seria que elas aproveitassem a pouca qualidade de educação que elas têm, para nutrir seus conhecimentos, passar no vestibular, podendo assim trabalharem no que gostam recebendo um salário extremamente alto. O governo oferece tantas regalias que fica fácil entrar na faculdade, eles simplesmente dão a universidade de presente para os futuros eleitores, o problema é que, a burrice faz com que as pessoas não saibam aproveitar o que possuem. E eles abem disso, a carteira deles agradece a sua ignorância. Nem eles obedecem as regras que impõe, pois a maioria sai de seus crimes impune, acabam sendo anistiados pelo poder maior, então não dão muito valor para ética, como eu disse antes, como seria se a política não existisse. Se certas pessoas não são capazes de interpretar o significado de uma simples PALAVRA, como vão sair do ensino médio com uma mente superior à que tinham na quinta série? A resposta é infelizmente clara e simples: não vão, a não se que caiam na realidade da noite pro dia, e é incrível como a "mísera" interpretação de uma única palavra, pode interferir positivamente ou negativamente na vida de uma pessoa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!