O Natal virou ateu?

20 dezembro 2013


Encontrada em: http://fashioncutelife.blogspot.com.br/2012/11/o-we-heart-it-ja-esta-no-clima-do-natal.html
Pois é, quem diria... semana que vem é Natal. Em Natal e ano-novo todos dizem que o ano passou rápido, mas eu só digo se tiver passado mesmo, o que não é o caso desse ano. Foram tantos acontecimentos, eu mudei de opinião sobre tantas coisas, e o tempo se arrastou tanto... não parece ter passado um ano, mas sim, uns 10 ou até uma eternidade. 
Desde pequena eu sempre fui católica, afinal, meus pais me batizaram quando eu tinha uns 6 meses mais ou menos, então eu não tive escolha. Eu fui crescendo, fiz a catequese, a comunhão e a medida que o tempo ia passando, eu fui refletindo. Confesso que sempre tive dúvidas sobre a existência de Deus e Jesus Cristo, pois a história que eu conheci na catequese e na bíblia me parecia completamente fictícia, e eu sempre fui o tipo de pessoa desconfiada e curiosa. O tempo foi passando, eu me fiz várias perguntas, mas não obtive resposta alguma para nenhuma delas, e eu sabia bem que ninguém saberia responder. 
Em casa, ninguém frequenta a igreja, pois às vezes a missa foge do foco principal, o padre já reclamou do dízimo, e a igreja sempre foi ostentativa demais. Todos preferiam rezar em casa, mas só os vejo rezando em momentos de crise, o que não acho certo. Posso não acreditar em Deus, mas quem acredita, deveria rezar para agradecer também, não apenas para pedir força, perdão e proteção, ou pior: pedir coisas que dependeriam mais do trabalho duro do que da fé (como se tudo fosse cair do céu pelo simples fato de rezar e ter fé em Deus). 
 Não me levem a mal pelo fato de eu não acreditar no que a maioria acredita, pois este é apenas o resultado de várias reflexões que fiz sobre assuntos religiosos, e quanto mais eu pensava, menos eu acreditava. Bastavam duas perguntas: "Se Deus criou tudo, quem criou Deus?" e "Como a avareza pode ser um pecado se naquela época nem existia dinheiro?". Mesmo assim, eu tenho certas opiniões sobre algumas igrejas, por exemplo, não gosto muito do fato de algumas serem cheias de luxo e requinte. Alguns veem nesse costume uma forma de agradecer a Jesus por ter salvo a todos nós, mas eu acho errado, porque ele era humilde, ele nunca fez nada pensando em recompensas, tudo o que ele comia era peixe, vilho e pão, além de dividir esse pão com  discípulos (outro motivo pra eu duvidar, como ele poderia dividir apenas um pão com  discípulos?). E também não acho legal aquelas igrejas que transformam as congregações em eventos, porque quando uma pessoa vai a igreja, ela deve ir pensando em rezar, agradecer e compensar os pecados, não em balançar o esqueleto ou apreciar a beleza da decoração e do conforto. Se der mole, botam sofás ao invés de bancos. Caso alguém aqui seja católico, evangélico, luterano, ou tenha qualquer tipo de religião cristã, não se sintam ofendidos, pois a minha intenção não é xingar religião alguma, mas sim, expressar a minha opinião sobre a minha e revelar as minhas crenças, ou melhor, a ausência delas. O importante é ter fé em alguma coisa, e eu respeito muito quem realmente valoriza a própria religião, ao invés de apenas fingir que é santo.
Assim como eu virei ateu, talvez o Natal também tenha virado... afinal, ele nem é mais uma época santa. O consumo virou o centro das atenções nessa época do ano, e por menor que sejam algumas cidades, todos os centros ficam lotados e super-movimentados, pois todos se preocupam demais em comprar presente para todo mundo, como se isso fosse uma prova de amor. Às vezes pode acontecer, você recebe pouco, precisa de algumas coisas, e não pode comprar presente, e aí? Isso significa que você tenha perdido o amor pela sua família, amigos ou namorado? Claro que não! Basta reunir a família, fazer una ceia ou almoço diferente, e ir relembrando as coisas boas que viveram durante o ano, não precisa nem se arrumar, afinal, é ridículo se arrumar pra ficar em casa só porque é Natal.
Ah... a época do perdão, da alegria, da solidariedade, do amor... mas principalmente da falsidade e da hipocrisia, porque ninguém se importa de verdade com isso, ou quase ninguém. Na maior parte do ano as pessoas passam brigando, se xingando, pisando umas nas outras, rindo da desgraça alheia, mas quando chega o Natal, o mundo se torna um só e todos passam a se amar repentinamente. Doações aqui, ongs ali... ok, é sempre bom fazer o bem e doar as coisas que não usamos mais a quem realmente precisa, mas se for pra mostrar que se importa, que seja o ano inteiro, e não apenas no Natal. Se for pra demonstrar amor ao próximo, que seja sempre, não apenas no fim do ano. E se for pra perdoar, que seja todos os dias. Se for pra corrigir os erros, fazer retrospectivas, que seja mensalmente, semanalmente... diariamente. Não precisa marcar hora para evoluir como pessoa, e evitar repetir os mesmos erros. 
A decoração... existe coisa mais linda do que um pinheirinho armado, cheinho de pisca-pisca? (Tem sim, eu =P). Até mesmo isso acaba enfraquecendo o verdadeiro significado do Natal, pois muitas famílias acabam brigando enquanto arrumam a casa, montam o pinheirinho... isso deveria ser feito com a família reunida, e sem ficar discutindo, até na minha eu confesso que rola um estresse, e olha que eu nem participo mais disso. O resultado até que é bonito, mas não é tão importante quanto saber que o Natal é muito mais do que consumo, festas e vaidade. É muito mais do que comida farta e ondas de falsa solidariedade.  É muito mais do que uma estrela no topo de um pinheirinho. É pelo menos uma vez na vida tomarmos a consciência de que, existem pessoas no mundo que precisam da nossa colaboração, e não devemos deixar as doações para depois. Em casa, nunca jogamos roupa nem nada fora, nós passamos adiante ou doamos. É pelo menos uma vez na vida perceber que, não é preciso esperar uma mera data comemorativa para refletir sobre o que andamos fazendo de errado, ou que sonhos queremos realizar. Não precisa esperar o fim do ano para criar expectativas e lutar pelo que deseja, você pode fazer isso todos os dias, com trabalho árduo e muita persistência você chega lá, não importa se o que você deseja é completar a faculdade, ou apenas emagrecer, basta saber planejar e tudo dará certo no momento certo.

Um comentário:

  1. Olá, acabo de visitar seu blog e segui-lo. Lhe desejo foco, sucesso e força. Que conquiste muitas realizações através do mesmo. E também convido você e seus/suas leitores/leitoras a conhecer o meu blog: toobege.blogspot.com.br . Beijinhos e espero você lá também *0*

    ResponderExcluir

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!