Top 5 Filmes Dramáticos

19 dezembro 2013


Eu não faço o tipo de pessoa sensível que chora por qualquer coisa, as pessoas geralmente lembram de mim como uma pessoa estressada, que não leva desaforo pra casa. Chorar com filmes, jamais, ninguém nunca me viu chorando durante um drama, por mais que dê vontade, eu odeio chorar em público. Todos ficam perguntando o motivo sendo que a maioria não se importa realmente, se eu falar, dizem que é fase, que vai passar, dão aqueles conselhos prontos, e por aí vai... sem falar que quanto mais sensível a pessoa for, maiores são as chances de um dia, as pessoas se aproveitarem disso.
Mas, apesar disso tudo, assumo que às vezes eu gosto de baixar uns filmes dramáticos, quando eu assisto, eu me tranco no quarto e me acabo, como se eu tivesse 5 anos, chega a ser patético, eu sei, mas é um bom jeito de se aliviar. Se eu me identificar com algum personagem ou com algo relacionado a história, então... problemas todo mundo tem, fases então, passamos por isso o tempo inteiro. Cada um tem o seu jeito de passar por elas. Pensando no meu jeito de passar por isso (e na falta de inspiração), resolvi preparar um Top 5, que não está em ordem, mostrando os filmes que eu assisti há algumas semanas. Ah, os filmes podem conter cenas de violência, ou até mesmo explícitas, mas nada muito pesado. 

OBS.: Dependendo da sua conexão com a internet, o carregamento pelo you tube pode ser bem demorado, na minha por exemplo, é preciso muita paciência, coisa que eu não tenho. Por isso, baixei todos pelo Songer, um programa dedicado ao download de músicas, que também permite baixar vídeos do youtube, e salvar como mp3, ou manter o arquivo original. Pra quem quiser baixar, ele é bem eficiente, e super confiável, o link é este.

(É bem difícil achar o trailler legendado, quanto mais dublado, então... não me xinguem). Esse filme eu assisti pela primeira vez no ano passado, na verdade. Fala sobre uma garota que entrou em Harvard, pra fazer jornalismo, ela conseguiu ser colunista da Rolling Stone (sonho). Ela já tinha tido depressão antes, e voltou a ter, pois se jogou de cabeça no trabalho, e isso fez com que ela perdesse o sono. Seus pais eram separados, o pai dela sumiu durante 4 ou 5 anos, e não a dava muita atenção. Já sua mãe, a mimava tanto que sufocava. Os amigos dela obrigaram-na a frequentar terapias contra a vontade dela, pois ela dizia que não funcionava. Ela passou a usar drogas por causa das festas que frequentava, e as brigas em casa a magoavam bastante, fazendo com que ela se sentisse culpada também. A história é real, e é um ótimo exemplo de superação para quem estiver passando por qualquer fase difícil, ou tiver alguma doença parecida (eu não estou passando por nada nem tenho isso, tá, só pra avisar kkk). Assista o filme aqui

Ele é um dos filmes mais bonitos que já vi, contando a história de um médico que fazia de tudo para descobrir uma cura para o câncer de mama. Todos os dias ele estudava, e fazia vários experimentos, era uma missão bem difícil, pois apesar de pertencer à classe média, seu salário não cobria todos as pesquisas, e ele precisava pedir verba para os colaboradores do hospital. Ele sofria muito, pois deixava de ver sua família para conquistar seu objetivo, e todos os dias via mulheres sofrendo por causa da doença que tinham. 
Mais uma vez eu ofereço um filme com uma ótima lição, eu nunca fui próxima de ninguém com câncer de mama, mas eu tinha uma tia que morreu de câncer, e ela sempre ajudava muito a família, sempre foi muito boa.. minha mãe ficou péssima quando soube, mas agora estamos bem, mais cedo ou mais tarde a vida tem que continuar.  Assista o filme aqui

Quantas vezes você já ouviu seus pais, professores, ou qualquer outra pessoa dizerem para você tomar cuidado com as pessoas com quem conversa na internet? Eu aprofundei uma amizade pela internet, falei sobre isso várias vezes aqui no blog, e vou falar de novo: conheci minha melhor amiga pela internet, e nós até já nos vimos pessoalmente, ela é da família do meu primo, e graças à minha tia que me convidou pra viagem, eu consegui ver minha parenta (é um apelido que inventamos). Mas nem sempre as histórias que começam pela internet são tão felizes... no caso do filme, a garota conheceu um amigo pela internet, seu nome era Charlie, e ele dizia ter 14 anos, a mesma idade que ela. Depois revelou ter 16 anos, e ela perdoou. Passado um tempo, revelou ter 20 e poucos, e mostrou algumas fotos para ela, provavelmente antigas. Um dia eles marcaram de sair no shopping, e ele tinha mais de 40 anos, e como ela já estava iludida, acreditando no "amor" que eles viviam, acabou perdoando novamente. Ele comprou uma lingerie vermelha para ela, porque ela disse que queria uma, mas que sua mãe não a deixava comprar, e então, a levou para um motel, pedindo para que ela provasse, "pra ver se fica bom". Ela acabou sendo estuprada, e mesmo assim acreditou que fosse um ato de amor, mas demorou para que as pessoas ficassem sabendo. 
A amiga dela perguntou a idade dele, e a garota não quis revelar. Com medo, a amiga contou para a diretora, que acabou chamando a polícia. Foi bem difícil, ela passou por vários problemas de família por causa disso, e rompeu os laços de amizade que tinha com a "fofoqueira", pois se sentiu traída, e demorou muito para convencerem ela de que ela foi estuprada. Se alguém aí costuma adicionar qualquer um, tem muitos amigos virtuais, ou até namorados... cuidado hein, sei que devo estar dando uma de mãe, ou até rede Globo, mas não importa, lembrem-se de que na internet todos podem ser o que quiserem. Assista o filme aqui

Quem nunca recebeu xingamentos virtualmente que atire a primeira pedra, principalmente quem está acostumado com blogs e redes sociais há quase 4 anos, no caso eu. O problema é quando as críticas se transformam em esculachos, e os esculachos, em perseguição constante, passando a interferir na vida da pessoa e na visão que ela possui de si mesma. Taylor era uma adolescente normal, tinha duas melhores amigas, e era apaixonada por um garoto em especial. Havia um grupo de garotas que sempre ficavam rindo dela, mas por um tempo isso não a abatia muito. Sua mãe era super-protetora, e não a deixava usar notebook sem supervisão, muito menos internet pelo celular. Um dia, em seu aniversário, ela ganhou um notebook, que ela poderia usar sozinha e de modo completamente privado. Ela resolveu criar uma conta no Cliksters, uma rede social usada por todos os alunos da escola onde ela estudava. Seu irmão queria usar o notebook, e ela nunca deixava, com raiva, invadiu a conta dela, e a fez passar por uma prostituta grávida (o que é de se chocar, eu nunca mais voltaria a falar com uma pessoa se ela fizesse isso comigo, mesmo sendo da família). Todos na escola viram, e o tal grupo começou a humilhá-la com mais força, xingando constantemente pela internet, inventando mais mentiras, e fazendo vídeos idiotas. Ela sofreu muito, deixou de frequentar a escola, e foi bem difícil para que ela superasse isso. Eu e uma amiga já fomos xingadas por anônimos, foi entre o final do ano passado e o começo desse, eles vinham todo dia fazer ameaças, hackearam o twitter dela, fizeram um fake dela se passando por uma vadia... foi bem difícil, e foi pior pra ela, porque ela chorou muito, cada vez eu sentia mais raiva deles por estarem fazendo isso, mas um dia simplesmente parou. Algumas ameças foram estranhas, por exemplo, quando eu fui demitida do meu primeiro emprego, eles disseram "eu ri muito da Amanda ser demitida, não me arrependo nada do que fiz". Diziam eles que sabiam das nossas conversas, que acompanhavam tudo pelo Facebook, e não adiantava trocar a senha, ou deletar o histórico, pois eles descobriam de qualquer jeito. Quando ela parou de se importar, eu deletei algumas contas, porque eu só tinha criado pra defender ela. O filme não é baseado em fatos reais, mas oferece um grande apoio a quem já passou ou ainda passa por situações parecidas, às vezes eu ainda recebo xingamentos, mas nunca me importo com nada. Assista o filme aqui

Fazia muito tempo que eu não assistia, porque o vi pela primeira vez na escola, há um bom tempo. Não sei como, nem por quê, mas lembrei desse filme quando decidi montar o Top 5, e resolvi procurá-lo. Em uma escola americana, o Bullyng chegou a um ponto absurdo. Um garoto tentou criar uma bomba para explodir o time de futebol americano da escola onde frequentava, motivado pelo ódio que sentia por eles, e pelo rancor de todas as agressões que sofrera (ele já foi jogado em latas de lixo, e teve sua cabeça enfiada numa privada, sem falar que apanhava quase que diariamente). A raiva dele só aumentava, e por causa do machismo, ele não podia chorar, o que só piorava a situação. Ele precisou de terapias para controle da raiva, e todos os dias era revistado antes de entrar na escola, os pais da maioria dos alunos queriam a expulsão dele, sem falar nos problemas de família. Só haviam duas pessoas que não o julgavam: um professor, e uma garota nova, que se tornou amiga dele, nada mais que isso.  Ele não chega a ser realista, pois o modo o qual ele superou seus problemas não parece muito possível, pois ele sofreu muito e pareceu repentino demais, fácil demais. E apesar das inúmeras cenas de violência (afinal, ele tentou se vingar), eu recomendo a todos, mas principalmente para quem já passou por isso (mesmo se nunca tiver se vingado, até porque nem todos são realmente capazes de fazer isso, a minoria é).  Assista o filme aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!