A sociedade e a maquiagem

07 janeiro 2014


Encontrada em: http://loucurascomglitter.blogspot.com.br/2013/04/batom-vermelho-mulher-confiante.html
Algumas mulheres não vivem sem maquiagem, outras preferem andar com sua cara lavada. Outras variam: às vezes sim, e às vezes não.
Muitas, ao se tornarem escravas da maquiagem por questões de insegurança e auto-confiança, acabam sendo julgadas por isso, vistas como fúteis ou super-ficiais, quando no fundo, se sentem horríveis sem maquiagem, e se tornam reféns, procurando uma auto-estima ilusória através de produtos, que mal elas sabem, só fazem com que se sintam piores.
Outras, obrigam-se a usar para provar que são femininas e sabem se arrumar, afinal, "mulher de verdade precisa ter o batom em uma mão e a colher na outra".
Mas será que é tão necessário assim? Afinal, ninguém está obrigando você a nada, você não está em um sequestro: não vai morrer se passar um dia sem rímel, lápis e delineador. O mundo não vai acabar se você sair com suas amigas sem nada no rosto.
Sei que é difícil tirar aquela maquiagem linda que você faz todos os dias para escola e trabalho, e mesmo assim olhar-se no espelho, sentindo-se maravilhosa de qualquer jeito. A grande maioria se acha horrível sem pó e corretivo, sente necessidade de usar pelo menos um pouco todo dia.
No trabalho (no meu e no de muitas pessoas), a maquiagem é uma regra. A vendedora ou recepcionista deve estar usando maquiagem e roupa social para que os clientes sintam-se melhor diante do que veem, elas retocam a maquiagem o tempo inteiro, se sair o batom, lá vão elas esperar o movimento baixar para colocar mais maquiagem naqueles lábios. 
Entretanto, o ideal é aceitar a si mesmo independente de estar arrumado ou não. É sempre bom reservar um dia da semana ou dois e ficar sem nada (caso você seja mais uma escrava da maquiagem ou da chapinha, escolha um dia o qual você possa ficar em casa, para poder se acostumar à imagem que verá no espelho). 
Não precisa largar tudo e nunca mais ver um batom ou um rímel na vida, até porque em determinadas ocasiões você vai ter que se arrumar: trabalho, festas, casamentos, eventos, etc. Caso possa recusar um lápis na escola ou na lanchonete, ótimo, mas se não der tudo bem, aceite sua patricinha interior e ande por aí com a cara pintada. O importante é sentir-se bem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!