Na saúde e na doença

25 fevereiro 2014


friendship<3 | via Tumblr
"Na saúde e na doença, até que a morte os separe". Ouviu dizer que isso era só para casamentos, mas tanto faz, ela nunca foi de seguir regras, e sua melhor amiga também não. 
Antes da má notícia elas faziam as maiores loucuras juntas, nunca foram muito estudiosas, matavam aula juntas para tomar sorvete no verão, e saíam mais cedo da escola para tomar café no inverno. Acabavam atrapalhando a aula de vez em quando por lembrar de algo engraçado e rir juntas, bastava um olhar e ambas sabiam o que era. Possuíam um idioma próprio, que só elas conheciam. 
E qual era a má notícia? Bem... Helena tinha câncer, e descobriu isso aos 16 anos, quando passou mal na escola. Seu estado era terminal, e o tratamento servia apenas para estender sua vida, pois como todos sabem, o câncer não possui uma cura ainda.
Ela acabou sendo internada e parou de frequentar a escola, Vanessa quis parar também, mas seus pais não permitiram, e contrataram uma empregada, não só para limpar a casa, mas para dá-los a certeza de que Vanessa estava indo as aulas e não estava dando aquelas escapadinhas.
A mãe de Helena pediu licença para ficar com a garota sempre que pudesse, não permitiram que ela ficasse no hospital com a filha, mas abriram um horário fora da hora de visitas para que ela cuidasse da filha e a desse apoio.
Todos os dias depois da aula, Vanessa ia no hospital visitar Helena, e elas continuavam zoando lá, falando sobre besteiras, e fazendo com que Helena se sentisse mil vezes melhor. Rir é o melhor remédio, faz bem para o coração... infelizmente, algumas risadas não eram o suficiente para curar o câncer que Helena possuía.
Nem todos os dias eram iguais, alguns eram totalmente deprimentes, só tinham lágrimas.
Passaram-se alguns anos, Vanessa se formou no Ensino Médio, e passou no vestibular para Medicina. Assim que se formou, aos 23 anos, abriu mão de qualquer festa para ver sua amiga. Quando chegou no quarto, ela estava dormindo, ela sabia que dormir combate o câncer, mas Helena sempre ficava acordada para esperá-la. Ela abraçou sua amiga tentando acordá-la, e disse:
- Adivinha, dorminhoca? Eu me formei! Me formei em medicina!
Nada. Mas os aparelhos estavam todos normais e Helena nunca teve sono pesado. O que tinha acontecido? Ela estava prestes a morrer, se não tiver altos e baixos na sua vida, você morre. E foi nessa hora que Helena morreu... acabaram-se os altos e baixos.
-Helena??? Helena, fala comigo, Helena! HELENA!
Os médicos vieram correndo para tentar salvá-la, mas nada adiantou. Vanessa estava em prantos, ela nem conseguiu contar que se formou. Nem conseguiu contar que faria uma pós-graduação em oncologia, e que se conseguisse (e IA conseguir), salvaria milhões de vidas.
Quantas pessoas possuem a sorte de morrer dormindo? Quando se tem câncer, esperar que isso aconteça é a mesma coisa que esperar um arco-íris depois de uma chuva, é raro, difícil e muitos acham impossível. Mas não é.
Ela sabia que um dia isso aconteceria, apenas não esperava que fosse nesse dia, as semanas que descenderam desse dia foram dedicadas ao luto de perder sua amiga de infância, mas ela não podia passar a vida inteira em pleno luto.
Passado algum tempo, levantou literal e metaforicamente, decidida a fazer a prova que lhe daria direito a um ano de pós-graduação.
Quem diria que uma das piores alunas conseguiria algo assim? A dor muda as pessoas, algumas para pior, outras para melhor. Vanessa mudou para melhor porque sabia bem o que queria: ela queria salvar vidas não apenas da morte, mas da dor da perda também.

Fonte: http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20090203182254AA8VGaL

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!