O melhor amigo do homem

26 fevereiro 2014


-
"Senta! Deita! Rola! Pegue a bolinha!" Ela não precisava de cães que fizessem truques como estes, ela tinha 13 anos e não exigia perfeição. Não precisava que fosse de raça, e se fosse desobediente, tudo bem, um cão não precisa ser um exemplo de disciplina para ser fiel e amoroso. 
Todo ser humano já tem a obrigação de ter disciplina, mas Andy não. Andy é apenas um cachorro, e tudo o que ele precisava fazer para ela era estar ali. Os seres humanos sempre abandonam quando as coisas estão difíceis, mas para os cães, não existe dificuldade. Eles não criam laços com os seres humanos, criam nós que parecem ter sido feitos por alguém da marinha, porque são impossíveis de serem desfeitos.
Não importa se no dia você estava tão atarefado que nem notou a presença de seu bom amigo, quando você chegar do trabalho, ele vai correr para cima de você e lavar seu rosto com todo o carinho de sua saliva. O amor é meio nojento às vezes...
"Trabalho? Ela tem só treze anos!" Bem, era só um exemplo.
Desde pequenininha, era apaixonada por animais de pelúcia, mas o seu animal favorito não era de pelúcia, era real. 
Andy sempre teve ciúme dos animais de pelúcia, ele os atacava com toda a voracidade que ele possuía dentro de si, ela ficava com raiva, mas não resistia ao olhar carente do amor de sua vida. E ela sabia que jamais teria um amor tão verdadeiro quanto o que seu cão poderia lhe oferecer.
Quando recebia boas notícias, não queria nem saber de ir em festas, ela tinha amigas, comemorava com elas, mas achava muito mais divertido comemorar com Andy, ela colocava uma música no rádio, e dançava com ele mesmo. 
Se tem uma coisa que ela amava, era fazer ele sorrir com suas próprias mãos. Ele sempre acabava pulando nela enchendo ela de lambidas quando ela fazia isso, e apesar de achar nojento, se matava de rir e depois ia tomar banho. 
Realmente, tudo o que ele precisava fazer por ela era existir, pena que ele não poderia fazer isso para sempre, afinal, a vida de um cão é bem curta, mas dura o suficiente pra ser lembrada para sempre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!