15 Manias que os Leitores Têm

13 abril 2014



Quem assim como eu é apaixonado pelo mundo dos livros e da leitura, sabe que todo leitor tem suas manias e que nem todo mundo costuma entender elas. Acho que a mais comum é aquela de comprar livros o tempo inteiro, ou se não puder, a biblioteca é o lugar mais frequentado. 


Ninguém entende por quê, mas você sente uma necessidade suprema de comprar livros o tempo inteiro, todo mês você gasta quase todo seu salário só em livros, no caso se você mora sozinha, sempre torce pras contas darem uma brecha e você poder levar mais esse mês. Mas se você tá desempregado, adivinha qual o lugar mais frequentado? A biblioteca, claro! Aqui em São Leopoldo é só levar o RG, se cadastrar e levar um livro, o prazo máximo de entrega é de duas semanas. Vai chegar uma hora que nem vai caber mais livros na sua casa, aí eu quero ver!

Você recém passou da metade do livro que está lendo, e apesar de estar amando a história já está pensando no próximo, não é mesmo? Pensa no próximo da sua prateleira, no próximo livro que vai pegar na biblioteca, no próximo livro que vai comprar...

Sabe aquele momento de indignação de quando você acha que as coisas vão sair de um jeito, e a história toma um rumo completamente diferente? Direto pra destruição das suas expectativas... você diz que se recusa a terminar o livro, mas não dá nem cinco minutos e você já tá com o nariz enfiado nele de novo!

Quando finalmente chega a melhor parte do livro, sempre tem alguém pra estragar o seu prazer. Seu pai pede pra você ir no mercado, sua mãe pede pra você buscar sua irmãzinha na escola, e você ali naquela meta de terminar o capítulo (não te deixam nem terminar a página, o que dirá o capítulo). Não sei se sou só eu, mas eu crio metas pra leitura: a primeira é chegar na centésima página, que é decisiva na hora de dizer se tô gostando ou não do livro (dependendo da grossura do livro é a 200). Depois eu fico medindo: agora vou ler uns 7 capítulos, sei que essa semana eu termino esse livro u.u hahaha
É uma coisa sobrenatural, basta você pegar o livro da bolsa que o mundo inteiro resolve puxar assunto contigo, perguntam que livro é, quantas páginas tem, se é bom, se é legal... parece que nunca viu uma pessoa lendo antes, se quer tanto saber, vai e lê o livro! O pior é quando a pessoa te confunde com um psicólogo e começa a desabafar e contar sua história de vida... 


Seja na aula quando não tem mais o que fazer, no intervalo de uma hora do trabalho quando você já comeu e não tem mais ninguém na cozinha ou sei lá onde você come, no ônibus, no avião, no trem, numa viagem onde o sinal de internet não pega... em qualquer situação o livro vai te acompanhar, te distrair e fazer com que tudo seja bem menos entediante.
Não são todos, mas milhares de leitores têm uma paixão inexplicável por comer e beber algo enquanto estão lendo, ainda mais eu, que sou viciada em café desde sei lá quando, haha. Sei que café e livros é uma das combinações mais perfeitas que existem, só tem que cuidar pra não derramar café no livro...
Sabe quado você termina o melhor livro que você já leu em toda a sua vida, sente vontade de falar dele pra primeira pessoa que aparecer, quer espalhar pra Deus e o mundo mas nenhum dos seus amigos gosta de ler? Ou até gostam, mas eles ainda não leram e você não vai ser fdp de estragar a surpresa da história... (devia ter uma lei contra spoilers, porque alguns fazem de propósito ¬¬) No meu caso eu faço resenhas sobre eles, assim eu consigo saciar parcialmente o meu desejo de comentar sobre ele.
Sempre vai ter aquele livro com aquele personagem que parece ser um reflexo da sua personalidade, né? É como se o autor te conhecesse, te espionasse dia e noite e tivesse feito o personagem pra você, sabe-se lá se é uma inspiração ou uma indireta, enfim... o pior é quando esse personagem morre.
Não sou o tipo de pessoa que se emociona com cenas tristes e românticas, mas quando a gente realmente se envolve com a história, é impossível não chorar em certas cenas. Quer um exemplo? Quem nunca chorou quando o Marley morreu, em Marley e Eu? E não é só chorando que se demonstra o nosso envolvimento com a história, a gente ri só de imaginar o quão idiota foi uma cena, fica indignado quando o personagem faz ou sofre uma injustiça, desvenda os mistérios, enfim...
Quem já leu livros como A Droga da Obediência e Uma Curva na Estrada sabe muito bem do que eu estou falando, é praticamente impossível ler um livro que envolva um mistério e não se pegar desvendando ele junto com os personagens. Você fica observando e antes mesmo dos personagens você já tem um palpite de quem seja (nunca tá certo =P hahaha). 
É incrível como os diretores e produtores de cinema conseguem exterminar as melhores cenas do livro,por exemplo, em Marley e Eu uma das cenas que eu mais gostei foi uma na qual uma garota foi esfaqueada e o John foi tentar ajudar. Deu uma cena de perseguição digna de um filme policial, mas no filme que o livro deu origem, essa cena não deu nem 50 segundos direito ¬¬ Sacanagem.
Você tá no Tumblr, Twitter, Facebook e afins, quando se depara com um trecho de uns dos livros que você já leu, e por alguma razão, acaba lembrando da cena toda, do que você pensou, imaginou, sentiu... e do que o personagem estava falando quando disse algo tão poético.
"Confiança não se pede, se conquista". Então não adianta implorar, se você não for extremamente próximo de mim, eu não vou te emprestar meus livros. E se eu te emprestar, faz o favor de: não riscar, não amassar, não beber nada perto dele (só eu posso fazer isso), se quando você devolver ele não estiver bem cuidado, eu nem empresto mais nada. Pra mim, livros e celular não são coisas que se devam pedir emprestado a alguém (e em alguns casos, não empresto nem roupa).


















Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!