#Top5 Propagandas do Bourbon

18 junho 2014


Sabe quando você tá assistindo seu programa favorito e uma propaganda chata interrompe tudo? Eu também. E sabe quando você tá assistindo qualquer porcaria, e a propaganda que o interrompe é bem melhor do que o programa que você está assistindo? É... essa eu tiro de letra.
Acho que as propagandas mais bonitinhas que eu já vi foram as do Zaffari Bourbon, principalmente as do Natal, que vamos combinar, não são mais como eram antigamente. Ou são boas e eu é que me apego demais a tudo que já -passou. Tanto faz.

Bom, vocês sabem que eu estou trabalhando, e caso não saibam, é justo no Zaffari Bourbon, aquele com as propagandas lindas que fazem você perceber o quanto o programa que você está assistindo é idiota e inútil.
A maioria das pessoas acha que essas propagandas só apelam para o lado sentimental para que os negócios do Zaffari lucrem. Bom, eu vi que não é bem assim (e vi, principalmente, que o Zaffari é tão organizado que nem precisa de uma boa propaganda pra lucrar, e não estou falando isso só porque tô trabalhando lá. Se eu não gostasse de lá, nem estaria mencionando o lugar pra não acabar pegando mal).
No treinamento, que foi em Porto Alegre, eles nos mostraram vários vídeos, entre eles, um que mostrava a história do Zaffari (que infelizmente eu não posso mostrar pra vocês porque eles não disponibilizaram no You Tube).


 O Zaffari começou há muitos anos atrás, mais ou menos em 1943, e o mercado era pequeno. Ele foi criado pelo Seu Zaffari (pois é, o mercado carrega nome de família), e seus doze filhos (eu não posso comentar nada sobre, então isso fica com vocês =P). Eram eles que operavam o caixa, organizavam as mercadorias, limpavam o mercado, empacotavam... e o lugar foi ficando famoso pelo atendimento simpático de todos os funcionários. 
Com o tempo os negócios da família foram se expandindo, e o que surgiu em uma cidade pequena do Rio Grande do Sul (minha terra), agora existe até mesmo em São Paulo (terra dos frescos =P Brincadeira).
Você acha que as propagandas não passam de apelação? Então você se enganou, já reparou que na maioria das vezes, as propagandas do Bourbon mostram relações de família? Isso é justamente uma referência à história do Zaffari. E o esquilinho, o logotipo, serve para simbolizar a organização e o trabalho em equipe.

Bom, agora que eu já fiz um texto de três parágrafos sobre o por quê das propagandas serem tão fofas, nada mais justo do que listar cinco das mais nostálgicas, não é mesmo?

Não sei quem fez a música dessa propaganda, mas acho que ela ficou bem melhor que a original. Não tenho muita coisa pra falar sobre essa, só se eu disser que uma garotinha loira que apareceu parece a minha irmã, mas fora isso... hahaha.

Nossa, eu lembro dessa até hoje, não vou dizer que parece que foi ontem, porque não parece. Parece que milhões de anos se passaram e que eu nem sou a mesma pessoa, como se a Amanda de alguns anos atrás, não fosse a mesma desse ano. Quando eu olho minhas fotos de infância é como se eu tivesse vendo fotos de outra pessoa, e não de mim mesma, entende? Eu mudei muito. Não sei se isso é bom ou ruim, mas um dia eu descubro. Sei que na primeira vez que eu vi essa propaganda eu chorei, e que eu adoro ela até hoje. <3 p="">

Eu também adorava essa, minha mãe e minha avó então... se olhar com pressa você não vai dizer que é uma cena de família, é mais uma cena escolar digamos, porque é uma peça natalina feita entre as crianças de uma provável escola. Mas como em toda peça escolar, os pais estavam assistindo, então...

Essa aí é muito bonitinha também, né? Eu parei de acreditar no Papai Noel muito cedo, tanto é que eu não faço ideia de quantos anos eu tinha quando decidi que o bom velhinho não existia mais, só sabia que a história era real, antiga, que há muitos anos existiu o São Nicolau, mas que obviamente, ele já morreu. E que hoje em dia, quem dá os presentes são os pais, e eu também adoro dar presente, mas não o suficiente pra me tornar uma mamãe Noela e sair presenteando todo mundo, né? Quem dera alguém quisesse dar uma de Papai Noel, e ao invés de deixar isso acabar na morte dele, deixasse de "herança" pros seus sucessores. Podia ter, sei lá, uma empresa que fizesse isso =P

E por fim, a propaganda de dia das Mães (pra acabar com o adiantamento no espírito Natalino de vocês, hahaha). De novo, com uma cena que lembra família, já que a motorista de ônibus, que vê criança todo dia, conseguiu fazer uma criança pra ela, e aumentou a sua família. 




Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!