Evanescence: jamais subestime a voz de uma mulher

25 julho 2014



Confesso que até um tempo atrás eu não gostava muito de Evanescence, não era uma daquelas haters maníacas (até porque elas são todas um bando de retardadas sem vida própria), era simplesmente indiferente em relação a essa banda assim como em relação a muitas outras que eu não gosto e não dou a mínima, contanto que usem fones de ouvido, por mim tá tudo bem. Não posso te impedir de gostar de nada, nem de detestar, só acho que um pouco de educação e respeito não faria mal a ninguém.
Me lembro de ter ouvido uma música ou outra (nem me lembro quais), e achado que parecia um pouco com ópera, e quando me falam em ópera a primeira coisa que me vem á cabeça é uma mulher que mais grita do que canta, fazendo força demais com uma voz fina, que era pra ser meiga, mas acaba parecendo uma taquara rachada de tanto que ela abusa das cordas vocais. Simplesmente tirei o vídeo e voltei à minha vida normal, como todos os que não gostam de um vídeo ou blog deveriam fazer ao invés de comentar "devolve os 5 minutos da minha vida", rs.
Mas esses dias eu estava no banheiro do trabalho, terminando de me arrumar e uma colega minha estava ouvindo "Call me when you are Sober", e eu achei que a música era uma overdose de perfeição. A guitarra dava um tom pesado à música, e a voz da cantora era bem afinada, não era um daqueles agudos forçados. Uma voz melodiosa que não estraga o ritmo de uma música assim é bem difícil de se encontrar. 
Quando perguntei qual era a banda e ela me disse que era Evanescence, eu nem acreditei que um dia eu comparei isso a ópera. Lembrei também do que eu penso sobre ópera, e isso me fez lembrar de algo meio crucial (rs): "quantas pessoas você já ouviu dizendo que o Rock também são só gritos, hein, Amanda?". Digamos que eu não tenha achado uma resposta, e que eu devo ser a única idiota do mundo a perder uma discussão consigo mesma. 


Depois de ouvir essa, claro que eu quis ouvir outras, né? Eu baixei um aplicativo no meu celular, chamado "Palco mp3", e nele eu achei "Bring me to Life", "My Immortal" e "Lithium". Só que a memória do meu celular tá com um problema: ela lota com qualquer aplicativo que eu baixe. Tive que deletar esse aplicativo, e deletar Lithium também, que veio com  muitas falhas (esse é o lado ruim do aplicativo: algumas músicas podem vir falhadas, porque ele mais ou menos como um 4Shared versão orkut: não são resultados de pesquisas na internet, são coisas que os usuários postam, ou seja, você não só vai achar músicas com falhas como também vai achar uma música da Nirvana, por exemplo, com o álbum nomeado "Edu Boladão". ¬¬ Isso me incomodou).
Não posso dizer que virei fã de Evanescence, afinal, são só três músicas, seria um exagero da minha parte dizer que Evanescence é vida, hahaha. Quem garante que eu não vá detestar todas as outras? Eu até quero baixar, mas eu morro de preguiça, porque eu não tenho nenhum programa pra isso, eu teria que baixar pelo You Tube, mandar UMA por UMA por E-mail (porque o cabo USB do meu celular também tá com problema), e depois baixar elas. Dá mais trabalho do que pesquisa escolar, e não acho que valha a pena se esforçar tanto só pra baixar algumas músicas.
Mas enfim, antes que eu enrole mais ainda, vou mostrar os clipes das músicas que eu ouvi, e lembrem-se: jamais subestimem a voz de uma mulher, não importa qual seja o estilo musical que ela esteja cantando.

Essa foi a que minha colega passou, eu fiquei ouvindo ela DIRETO por quase duas semanas, de tão apaixonada que eu fiquei pela música. Ela tem um ritmo pesado, e ela canta com sentimento, fazendo com que você consiga sentir a música, e ter até uma certa empatia com o que ela estava tentando transmitir. Talvez você não chegue a saber exatamente o que ela queria dizer (porque toda arte carrega um lado mais pessoal, um segredo que só o artista saberia dizer se quisesse), mas com certeza, a música vai revirar toda a raiva que existe dentro de você, fazendo com que de algum modo, você se sinta mais aliviado caso esteja passando por um período difícil da sua vida.

O vício que essa música me ofereceu conseguiu com certeza empatar com "Call me When you are Sober". Além de ter um ritmo pesado, ela tem um quê sombrio e a música é de uma melancolia que impressiona qualquer um. Sem falar que o clipe é perfeito, e faz você se colocar no lugar da cantora mais uma vez. 

Escutar essa música de noite enquanto pensa nos próprios dramas não é pedir, é implorar pra morrer afogado nas próprias lágrimas (exagero? rs). A Amy Lee canta com tanto sentimento que eu chego a pensar se ela está bem e essa música é sobre ela mesma, ou se é dedicada a outra pessoa que está passando pelo que ela descreve nas letras.
Eu tinha ouvido essa música no vídeo de uma garota (sabe aquelas histórias de garotas que se cortam, avisam que vão se matar, e no final do vídeo aparece quando e como elas conseguiram cometer suicídio? Era um desses, mas não lembro qual era. Sei que eu tive vontade de baixar a música e jamais passaria pela minha cabeça que era da banda Evanescence).

Um comentário:

  1. Olá Amanda, tudo bem?

    Fiquei impressionada com sua história, realmente você curte blogar viu? Porque passar aquilo tudo e voltar, não tem outra resposta. Parabéns por ter voltado e desta vez, para falar sobre o que gosta.

    ResponderExcluir

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!