#Campanha Stop the Beauty Madness

13 setembro 2014


Faz um certo tempinho que anda rolando pelo Face e pelo Insta o Desafio sem Maquiagem. Pra você ele começa quando alguém te marca (claro), te desafiando a postar uma foto sem maquiagem e sem filtro, caso contrário, você deve dar 100 reais em dinheiro para a pessoa (ou qualquer coisa que ela queira, mas 100 reais é o padrão do desafio).
A ideia surgiu da mania que algumas celebridades têm de postar fotos sem maquiagem aqui e ali, que acabou inspirando uma escritora chamada Robin Ryssen a criar o famoso #StoptheBeautyMadness (pare com a loucura da beleza).
Ok, agora as pessoas pararam um pouco de postar isso, mas há pelo menos uma semana atrás, minha timeline no Face só tinha isso e Desafio do Gelo. E como eu sou chata (pra não dizer insuportável), já fui reclamando que as pessoas não tinham outro assunto, que era modinha, que daqui uns tempos ninguém lembrava mais disso, que era falta de louça pra lavar... enfim. 

Mas depois eu fui pensando melhor: isso é justamente sobre algo que eu tomei como ideologia há um certo tempo, e seria realmente muito bom se a ideia de as garotas aceitarem sua aparência natural ganhasse força.
Há dois anos atrás eu estava em uma fase difícil e ela acabou enfraquecendo mais ainda a minha auto-estima, que de alta nunca teve nada. Eu passei a odiar espelhos e câmeras, não ficava sem maquiagem nem em casa, e quando tirava, era capaz até de chorar olhando meu reflexo (sério).
Passado um tempo, eu fui melhorando e repensando aquela situação. Fui observando quanto tempo eu perdia passando maquiagem, e o quanto a minha vida poderia ser mais prática e rápida se eu passasse uma meia hora a menos me arrumando. 
Comecei aos poucos. Eu que sempre usava base, sombra, rímel, lápis e delineador, comecei a largar o delineador. Depois fui largando a sombra, o lápis, depois chegou a vez do rímel, e por fim, a base. Agora eu nem me importo mais se estou feia ou não, contando que meu gerente não cobre isso como apresentação pessoal, a única coisa que me interessa é trabalhar até morrer e dar o meu melhor nisso. Os clientes não ligam se você está de rímel ou não, de você eles só querem simpatia e eficiência. 
Não precisa sair de casa como se fosse uma mendiga, claro. Aceitar seu natural não é sinônimo de relaxar de vez: continue se depilando, penteando seu cabelo, usando roupas que não estejam rasgadas ou manchadas, tomando banho...

Hoje em dia, eu sempre digo que maquiagem é perda de tempo, porque pra mim é mesmo (eu começo a trabalhar às sete, e pra me maquiar, eu teria que acordar às cinco. Só que eu ando tão cansada, que não consigo acordar antes das seis, tendo apenas vinte minutos para me arrumar. Ou eu me maquio, ou eu tomo café da manhã,, e aí? Qual vocês acham que eu escolho? Hahaha).
Eu sei que a maioria das garotas que usa maquiagem, usa por insegurança. Por falta de auto-aceitação (claro que nem sempre chega ao ponto de chorar no espelho, kkk, mas deu pra entender, mas se elas tentassem usar cada vez menos maquiagem, acredito que conseguiriam finalmente ter mais auto-estima, e levar uma vida muito mais feliz (e bem rápida também, kkk). No começo, não precisa nem ser em público: quando chegar seu dia de folga, arrume uma desculpa e fique em casa: não ponha maquiagem, e olhe-se no espelho. Ao invés de olhar para suas sardas, ou para sua bochecha vermelha, olhe para a cor e o formato bonito de seus olhos, por exemplo. Focalize os aspectos positivos em vez dos negativos, e faça isso sempre que tiver a oportunidade de ficar em casa, até você ter coragem de sair na rua sem nem uma base ou corretivo sequer.
Não ligue para os comentários, sempre vai ter um idiota pra perguntar se você tá doente, que você tá pálida, etc.. comigo é mais ou menos assim: 

- Você tá bem?
- Tô, por quê?
- Tá branca...
- Mas eu sou branca! kkk.

 E a vida segue, hahaha. Não dá pra levar tão a sério, seja leve e releve ;) (Mas sério, eu sou branca mesmo. Se depois de um filme de terror, em plena madrugada, eu apagar a luz, me olhar no espelho, e abrir a boca, vou confundir meu reflexo com um demônio =P).
Acabou que eu acabei curtindo a campanha, e aconselho todas a usarem ela como uma fonte de apoio para aceitar seu verdadeiro eu exterior, ou pelo menos como um empurrãozinho para tomar a iniciativa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!