10 Coisas que me Irritam/Incomodam

30 outubro 2014


Ok, ok, eu sei que no último post eu disse que ia falar sobre Homofobia e casamento Gay, mas antes mesmo do dia das eleições eu já estava com a ideia desse post na cabeça (sim, eu baixei a velha reclamona mesmo essa semana), e além disso, falar sobre esse assunto me dá uma preguiça... eu já tenho minha opinião formada (não que ela não possa muda caso eu seja corrigida, o que já aconteceu e eu não me envergonho). O problema é que eu já falei desse assunto várias vezes com várias pessoas diferentes, e eu sou o tipo de pessoa que detesta repetir a mesma coisa várias vezes. Se eu cansar do assunto, não tem jeito, vou falar dele o menos possível.

Enfim, foco: já vi várias blogueiras por aí passando mensagens motivadoras, do tipo "não desista", "aceite a si mesmo", "não se importe com o que dizem de você". Sim, eu concordo com todas elas, até porque eu mesma já as postei não faz muito temp. Mas ninguém é otimista o tempo inteiro, e ninguém tá sempre de bom humor, dizendo o quanto ama a si mesmo e ao mundo. A auto aceitação, por exemplo, não chega de imediato, a partir do momento que você cansa de implicar consigo mesmo, ou quando você lê um texto (tô falando por mim mesma kkkk mas calma, vamos aos poucos, já estive pior, então eu posso ficar melhor).
O ponto é que eu até já vi alguns textos deprimentes (alguns não, vários), mas nunca vi uma blogueira reclamando de pequenas coisas que irritam elas, ou que incomodam. A maioria opta por manter uma imagem de positividade, e prefere fazer listas com coisas que adoram. Um dia eu faço uma dessas, mas hoje eu vou ser bem realista e sincera e mostrar o que eu não gosto também, porque todo mundo reclama às vezes:



1) Gente animada/efusiva demais: Sabe o que é você acordar às seis da matina, só no tempo de se vestir, prender o cabelo, escovar os dentes e sair pro trabalho, quando de repente, se depara com alguém todo animado: "BOOOM DIAAAAA!" ¬¬ "Teu cúúú". O pior não é nem isso, tem aquele tipo grudento também, que insiste em querer agarrar, beijar, e dizer o quanto tá feliz, de bem com a vida, que adora seu trabalho... ok jovem, que bom que você tá feliz, mas faz um favorzinho? Vai ser feliz lá na puta que pariu? É, dificilmente eu acordo de bom humor, geralmente eu acordo com aquela cara de zumbi, me sentindo completamente indisposta, com dor no corpo inteiro, torcendo pra não ter dor de cabeça também, porque muitas vezes isso me deixa tonta... nem abro muito a boca, só falo o que for necessário, e o resto eu respondo com sorrisos forçados e respostas curtas: "aham". "sim", "não", "é", "hum". Nem sempre esse humor melhora durante o dia, mas não costumo discutir muito quando isso acontece, a não ser que me venham com desaforo mesmo (mas muitas vezes eu só mando calar a boca e para por ali).

2) Gente que ignora: Não interessa se é virtualmente ou pessoalmente, se eu te disse oi, responda. Se eu disse bom dia, responda. Se eu disse tchau, responda. Nem que seja uma resposta curta, por conta do mau humor, pra mim é uma questão de educação (se bem que eu já perdi a conta de quantas pessoas eu já ignorei no Face porque mesmo estando com o chat desativado, a pessoa insistia em conversar. Ok, se a pessoa faz isso, mereceu mesmo. Eu não faço, juro, rs). 

3) Gente que quer mandar na minha vida: Tudo bem, você não é obrigado a concordar com tudo o que eu digo, e eu sei que nem todo mundo vai concordar comigo sempre. Também não acho que você seja obrigado a tomar as mesmas decisões que eu tomei, e viver do mesmo jeito que eu vivo, cada um vive do jeito que acha melhor. Mas não tente me fazer mudar de ideia sobre nada, as decisões que eu tomei vieram de muita reflexão sobre o que vale ou não a pena, e cabe só a mim repensar isso ou não. Se você não sabe os motivos, por favor: vá cuidar da sua vida, juro que não machuca =)

4) Locais barulhentos/movimentados: Detesto bater perna pra fazer compras ou qualquer coisa que demore demais. Isso significa que eu vou ter que enfrentar "a" muvuca e isso não é uma das melhores coisas do mundo. Você tá andando, e parece que o mundo resolve vir pra cima de você, e ninguém nem pede licença, só vão se atirando, empurrando... saiam de perto de mim. Dá vontade de jogar uma bomba. No calor, então, é pior ainda, quando tem gente demais ao meu redor eu chego até a ficar tonta (cês não fazem ideia de quantas vezes eu já falei verbalmente sobre o que me deixa tonta, agora eu tô com a impressão de que tudo me deixa assim. Até cansei do assunto e nem vou mais falar muito sobre isso, agora eu tô mencionando, mas as pessoas pras quais eu já falei talvez reparem que eu nem falei mais nada).

5) Climas intensos demais: Não interessa se tá muito calor, ou muito frio, se qualquer um dos dois tiver passado dos limites, eu vou reclamar. No inverno a pessoa tem que se agasalhar tanto que dá a impressão de não poder se mexer, levantar da cama é uma tortura, porque você vai sair de um lugar quente pra passar frio na rua. Ah: e não tem agasalho pro rosto, então reza pra não ter uma ventania gelada. Sem contar a gripe, você passa o inverno todo resfriado, com o nariz vermelho, fungando, com dor de garganta, uma rouquidão do capeta (isso quando não perde a voz). Enquanto isso, no verão, você tá sempre fedido, suando, se você costuma acordar indisposto com frequência isso vai piorar (não sei como o calor consegue sugar tanto a nossa energia), se você precisa usar jeans com frequência vai chegar um momento do dia que vai parecer que você tá mijado... e se assim como eu, você não tem pressão baixa, agradeça. Porque quem tem, sofre, e odeia o verão mais do que tudo no mundo.

6) TV/Falação o dia inteiro: Talvez isso pudesse se encaixar na categoria de lugares movimentados ou pessoas efusivas, mas decidi separar. Às vezes eu até gosto de assistir uma série de comédia, ou um filme de Terror, Suspensa, de Drama, ou comédia também. Só que a TV aqui de casa fica ligada desde que minha mãe acorda até ela ir dormir, e é uma senhora bosta chegar em casa cansada e ser obrigada a assistir Cobras e Lagartos, no Vale a Pena Ver de Novo. Sou do tipo de pessoa que quando passa um grande período de tempo rodeada de pessoas, ou de barulho, precisa passar um tempo sozinha pra arejar a cabeça, e compensar o resto do dia. Silêncio pra mim, é uma bênção. E sim, eu dispenso qualquer diálogo quando chego cansada/exausta/morta/cosplay de zumbi chapado dos lugares.

7) Quando o Despertador Sacaneia: Sabe aquela mania de programar o despertador um pouco mais cedo, só pra ter vários "cinco minutinhos" e enrolar até a morte de manhã? Tente abrir um pouco mais o olho na hora de apertar o botão da soneca, principalmente se seu celular for Touch Screen. Nunca se sabe em que dia você vai apertar em cancelar sem querer, e acordar cinco minutos depois da hora que você deveria ter saído de casa. Já aconteceu comigo, e por incrível que pareça, cheguei na hora. É que eu tenho um truque: programo três despertadores ao invés de um, e já durmo parcialmente pronta, com as coisas separadas e organizadas, assim, de manhã, é só vestir o que falta, pegar as coisas, escovar os dentes, prender o cabelo e sair. "Ah, mas você não se maquia?". Quem é que pensa em maquiagem às seis da manhã???

8) Gente intrometida: Já aconteceu de você estar conversando sobre um assunto qualquer com sua amiga, colega de trabalho, mãe, pai, cachorro, whatever, e vir alguém se intrometer no meio da conversa? O pior é que, considerando que a pessoa não ouviu tudo, é provável que ela vá falar merda. E é certo que ela vai achar ruim de ter levado patada. Depois ainda sai fazendo pose, querendo ter razão. "E a louça, já lavou?".

9) Descaso com o problema alheio: Nunca gostei de desabafar muito com as pessoas, nem de demonstrar quando eu estou mal de verdade (reclamar eu reclamo, mas quanto mais uma coisa me preocupa, menos eu vou falar sobre ela. Se eu sei que vão falar merda e eu não vou gostar de ouvir, prefiro nem comentar). Ok, acontece muito de eu chegar nos lugares com a cara fechada, mas é só botar a culpa no cansaço e pronto (às vezes isso é verdade, e quando não é, é uma meia verdade, porque o cansaço tá sempre incluso no pacote). Me recuso a responder pros curiosos vulgo falsos "o que houve". Dá vontade de dizer: "guarda tua curiosidade pra ti, eu sei que você não liga". Se a pessoa desabafa, é sempre a mesma merda: "ai, que drama", "ah, isso é fase, vai passar", "manda se fuder e já era", "deixa de ser fresca". E eu com isso de que é drama? É o meu drama, e se você não quer ajudar, dar conselho ou no mínimo tentar consolar, não pergunte o que aconteceu, ué! Ah: e conselhos genéricos não contam. Vamos supor que eu goste de alguém e não seja correspondida: eu sei que ele não me merece, eu sei que eu vou conhecer alguém melhor, eu sei que eu mereço alguém melhor... se quer ajudar, me ensina a esquecer, e se não sabe, sei lá, evite perguntar sobre isso. (Não, eu não gosto de ninguém, é só um exemplo clássico).

10) Ter coisas demais pra fazer/Não ter o que fazer: Detesto quando eu percebo que fiquei lotada de coisas pra fazer, cada uma com um prazo diferente. Dá uma correria infernal, e eu começo a me sentir sufocada, sei lá. Tipo "oxigênio, eu preciso de oxigênio". Se não der pra eu fazer nada que eu realmente goste, nem parar quieta por um minuto que for, eu piro. Ok, pirar eu não piro, talvez eu esteja cansada demais pra isso, mas é uma merda. Não que eu não saiba lidar com compromissos e responsabilidades, o que tiver pra fazer eu faço, lógico, mas um tempo pra minha cabeça é bom às vezes.
Ao mesmo tempo que é ruim ter coisas demais pra fazer, é ruim quando você não tem o que fazer, ou não pode fazer nada a não ser ficar parado (já trabalhei num lugar em que, num determinado momento, o movimento passava e tudo o que restava era esperar ele voltar. Como eu aguentei, meu Deus). Não sou tão hiperativa a ponto de precisar estar sempre conversando, ou sempre na correria, mas eu preciso me manter em atividade, nem que seja usar o note, ouvir música, ler, dormir (pra mim conta, kkkk), comer, escrever... qualquer coisa que não seja ficar parada, olhando pra parede.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!