"Love Your Body"

21 outubro 2014


Uma coisa que eu detesto ver são pessoas implicando com o próprio corpo ou com a própria aparência, mesmo sabendo que eu também faço isso às vezes (exemplos: reclamo muito do meu cabelo, há uns dias tive a impressão de que eu era muito pescoçuda, e costumo evitar regatas cavadas demais e blusas tomara que caia porque sou muito magra, e fico parecendo um esqueleto com isso).
Não é que eu não entenda a sua preocupação, eu entendo. Também tenho as minhas. Eu só acho que as coisas não deveriam ser assim. Isso é algo totalmente desnecessário porque a sua aparência não vai fazer com que a sua família ou amigos decidam te abandonar (a não ser que eles sejam uns filhos da puta, nesse caso, o problema não é com você: é com quem te rejeitou por causa da sua aparência. São pessoas fúteis, idiotas e que acham legal esnobar os outros. Se acham melhores, mesmo não sendo. Não acredite nelas, deixe elas pensarem que são melhores do que você, mas não deixe que esse pensamento te afete).
A sua aparência também não vai afetar o modo como você trabalha, a não ser que ela esteja afetando a sua saúde. Se afeta, não tente se virar sozinho(a). Vá num médico, em um nutricionista, faça uma dieta saudável. Fazer dieta sozinho é uma das piores coisas que você pode fazer a si mesmo, porque podem faltar várias vitaminas e fibras que são essenciais para você. Dependendo de quais você perder, você pode até ter problemas cardíacos ou respiratórios. Pode ter anemia, também (que é a primeira doença que vem na sua mente quando dizem que alguém come pouco, se tirar a anorexia e a bulimia).

Muitas das pessoas que têm problemas de auto-estima relacionados com a sua aparência já foram zoadas por causa disso, no passado. 
É incrível como as palavras alheias podem interferir no que você pensa de você mesmo. Já reparou? Quem passou a vida sendo elogiado e mimado, sempre vai se achar lindo e maravilhoso, mesmo se não for tão bonito assim. Quando os elogios vêm em maior quantidade, crítica nenhuma coloca essa pessoa pra baixo. Ela ri e segue em frente, se achando o máximo por ter respondido à altura. O que nem sempre é certo, mas é o que as palavras fizeram essa pessoa pensar.
Porém, se ela passou a vida sendo zoado e humilhado, sempre vai se achar feio e estranho, mesmo se não for tão ridículo assim. Quando as críticas vêm em maior quantidade, elogio nenhum coloca essa pessoa pra cima. Ou coloca. Às vezes a pessoa enxerga o elogio como um troféu, e fica feliz da vida por pelo menos uma pessoa ter enxergado a trança que ela fez, ou o quanto ela trabalha, ou o quanto ela é inteligente, ou os desenhos que faz, o texto que escreve... etc. Mas às vezes, ser elogiada não é o suficiente. Ela pode achar que é mentira, que a pessoa só tá dizendo isso pra se sentir melhor, que a pessoa tá exagerando, que ela tá enganada, etc. 

Pessoas assim precisam colocar em suas cabeças: nem toda crítica é totalmente válida, e nem todo elogio é totalmente falso. 

                                             Clique em continue lendo porque esse post ficou "meio" longuinho...
Se não for por causa de piadas, sempre tem os padrões, a televisão, as fotos da revista que só têm pessoas magras, os sites da internet... o mundo só quer saber das magras, mas não magras demais. Se tá gordo, tá ruim. Mas não pode ser muito magro. Se tá baixo, tá ruim. Mas não pode ser muito alto. Aff, vão tudo tomar no cu (aceitem meus palavrões em textos, porque os padrões não mudam meu blog =P). Só porque o mundo pensa de um jeito não quer dizer que esteja certo. Ignore isso e seja feliz comendo seu Mega Mac (uma novidade do Mc Donald's). Ou seja feliz comendo sua salada, caso já tenha visto um documentário sobre abate e agora não queira mais saber de carne.
Os padrões inventados pela sociedade não precisam virar uma lei na sua vida. Também dizem que o adolescente precisa ficar, beijar, sair e curtir a vida. Festa todo fim de semana, uma lista de quem você já pegou e um namoro a tiracolo. Eu sou bem feliz com meu livro, uns fones de ouvido, papel e caneta pra escrever, um notebook pra atualizar as redes se uma cama pra dormir. Sou caseira, se eu saio por meia hora já quero voltar pra casa, não quero namorado pra ter uns anos só pra mim, e é isso aí. Tá ótimo. Sou toda certinha, detesto nota baixa, e tem gente que acha isso chato. Até já reclamaram que eu sou nerd, eu acho até engraçado, os nerds só estão na moda até aparecer alguém que se pareça mesmo com um? Ha. Me faça rir. Não sou nerd porque não sou tão apaixonada assim pelos estudos, depende da matéria (tenho nojo de exatas, mas gosto de aprender as outras). E tem que ver quando eu digo que não quero namorado, olha os comentários: "ah, você vai ser freira, então?". Imagina que legal, eu seria a primeira freira do mundo a não acreditar em Deus. Seria emocionante. "Ah, mas você é jovem, precisa curtir a vida". E eu estou, do meu jeito. O seu não me interessa. "Ah, mas...". Na boa? Vai dormir =) Se eu soubesse que deixar essas coisas claro iam gerar tanta "preocupação" dos outros com a minha vida, teria ficado quieta. Agora não adianta mais, mas tanto faz, as pessoas podem falar o que quiserem e isso não vai interferir no que eu faço ou deixo de fazer da minha vida.
Até o estilo de vida dos adolescentes é padronizado, se estuda tá ruim e se não estuda também. Se você ignora o padrão relacionado a isso, pode muito bem ignorar o que é relacionado a sua aparência.

Quando for se olhar no espelho, pare de procurar quilos extras, ou no meu caso, quilos a menos. Pare de procurar espinhas no rosto, ou um fio fora do lugar no cabelo. Pare de procurar seus defeitos. A espinha vai melhorar com o tempo. Os quilos, você pode perder, ou ganhar. Se não der, leia o parágrafo anterior: se não interferir na saúde, não vai interferir no trabalho (e isso depende do trabalho, também. Se você carrega peso, interfere, mas se trabalha em escritório provavelmente não vai fazer diferença). O fio fora do lugar você pode pentear e prender, ou colocar uma tiara. 
Vou procurar fazer mais isso, também. Acreditar nos elogios é uma boa ideia, quem sabe até aprendo a reagir? Porque cada vez que me elogiam eu reajo de um jeito diferente: ou eu dou um sorriso bobo, de orelha a orelha, e agradeço; Ou eu dou esse sorriso sem agradecer e fico sorrindo eternamente por ter ficado totalmente sem graça; Ou eu dou risada (lembre-se: não estou rindo de você, nem do seu elogio, tô rindo de vergonha); Ou eu faço uma piada auto depreciativa, tipo: "você usou drogas, hoje?", ou, "se quiser, te compro uns óculos". Não é falsa modéstia, não é nem modéstia, às vezes eu não acredito mesmo.
Mas isso tem que parar.




Já fui o tipo de pessoa que não vive sem maquiagem, também. Uma vez eu comprei um delineador, fiz aquele olho gatinho, e gostei tanto que não quis mais parar de usar. Me acostumei tanto que quando eu tirava a maquiagem, eu me achava feia, com cara de doente, etc. E nem adiantava dizer que eu não era, porque eu não acreditava. É idiotice? Talvez. Não importa. Pelo menos com o tempo isso não me incomodou mais, passei a usar cada vez menos maquiagem, e a sair sem maquiagem uma vez por semana. Depois duas, depois três... agora eu raramente uso maquiagem. Pra mim é uma perda de tempo, porque eu já preciso acordar cedo, seis da manhã, pra quê eu vou acordar mais cedo ainda só pra fazer uma maquiagem? E ainda tem gente que diz: "ah, você é bonita, tinha que se arrumar mais". Se uma pessoa é bonita, ela precisa de maquiagem pra quê? Grande coisa. 

Já viram esse vídeo?


Se eu parei de implicar com o meu rosto, por que não parar de implicar com o corpo? O motivo não é esse, mas tem tanta gente que acha as magras bonitas. Que diz que eu tenho que ser modelo (na boa? Não tenho. Não é por me achar, mas acontece que eu como pra caralho e uma modelo não pode fazer isso, mesmo se for magra por genética, como eu. Sem falar que todo mundo ia ficar mandando na minha vida, dizendo o que eu tenho que fazer ou deixar de fazer... já mandam agora, imagina se eu trabalhasse nisso? Vish. Ah: e eu odeio moda. Tá, não a moda em si, mas as pessoas que usam isso pra se exibir e se achar mais do que os outros. Se eu fosse modelo, daria material pra essas pessoas se acharem fodas. Então não, obrigada).
Enfim, acho que já chega de auto implicância, né? Keep Calm and Let's be happy. 

Só porque já me chamaram de esqueleto, de loira do banheiro, de palito de dente, palito de picolé, etc, não quer dizer que eu seja. E se for, e daí? Bora ser um palito feliz? Hahaha =P

O incrível é que eu tenho mania de escrever textos motivadores, de dar conselho e bancar a psicóloga pra todo mundo, mas aí eu chego, olho no espelho e digo: tá torto. 
É desnecessário, isso, hahaha. Chega, se você é que nem eu, que tenta levantar a auto estima do mundo sem levantar a sua, aceite seus próprios conselhos: tome eles pra si. 

É do tipo que não vive sem escrever, também? Que fica agonizada só de ter uma ideia na cabeça e não ter tempo pra colocar no papel, ou na tela de um computador? Já escreveu algum texto motivacional?
Se sim, leia seus textos e acredite neles. Se não, escreva. Não necessariamente para os outros, mas para si mesma. Ou para si mesmo. Tem tantos garotos por aí que são magros, mas não podem ver um quilo a mais que já se incomodam porque já foram ultra gordos. Tem tanto garoto por aí que é magro e detesta isso, porque queria ter músculos e ser bombado. E óbvio, tem garotos que se acham gordos e são gordos mesmo. Se for pra fazer dieta, faça pela sua saúde, não pela sua aparência.

A aparência que você tem hoje não é permanente. Você vai envelhecer e ela pode melhorar, ou piorar. Você vai ganhar rugas, vai ganhar peso, vai ganhar pelancas, vai ganhar vários fios brancos e perder outros (no caso dos homens). Se alguém te ama por você ser bonito, não é amor, é só uma quedinha. Quanto tempo esse amor que ela acha sentir vai durar? Até uma espinha surgir na sua cara? Não pense que só porque você é bonito que você não precisa ser inteligente. Se não for, como vai completar o Ensino Médio, ou o curso técnico, ou a faculdade? Como você vai lidar com uma entrevista, ou com as responsabilidades de um emprego, se você for burro? Como vai cuidar de uma casa ou apartamento próprio, se você tem vento onde era pra ter um cérebro? 
Você não precisa necessariamente ser um gênio, phd em matemática, física e química, nem nada. Mas saber se virar sozinho (mesmo se for de um jeito diferente), saber tomar decisões sozinho, e se planejar, é algo necessário sim, se você não quiser passar a vida dependendo de outra pessoa. Quero ver como vai ser se ela te abandonar, se ela te trair, te decepcionar, ou sei lá, morrer? "Ai, como você é pessimista". Sou realista, as pessoas precisam se aceitar, mas precisam se garantir também. Fazer o plano B e o plano C caso o A não funcione não é uma insegurança, e sim, uma estratégia. 
Ah, e lembre-se: ser esquecido, distraído ou atrapalhado não é sinônimo de ser burro: se você costuma esbarrar nas coisas e nas pessoas, esquecer seus objetos, ou já ignorou o bom dia de alguém porque não reparou que ela tinha falado com você, relaxa. Você não é burro, se alguém te chamar te burro por causa disso, dê um dicionário pra essa pessoa. Mesmo se você for meio lerdo, ou tem dificuldades de aprendizado, isso não é burrice. Demorou pra entender? Grande coisa. Não entendeu ainda? Grande coisa. Você vai entender, você pode aprender, não importa quanto tempo demore. Não significa que você é burro, cada um tem o seu ritmo, só isso.

E antes mesmo de se preocupar com a sua inteligência, preocupe-se com o seu caráter: você não precisa ser o bom samaritano que ajuda todo mundo e é pisoteado, porque ajuda até quem já te maltratou. Mas ajudar as pessoas que se ama não dói. Valorizar quem te ajuda ao invés de só enxergar os erros, não mata. E dar apoio, conselhos, carinho, consolo, não vai fazer um pedaço seu cair. 
Pequenos gestos também são bem vindos, mesmo pra quem você não conhece. Viu alguém com a cadeira de rodas enguiçada na rua, tem tempo de sobra e a pessoa está sozinha? Ajude. Você não vai ganhar nada com isso, mas a pessoa vai. E você não tem nada a perder, até porque vocês nunca mais vão se ver na vida, mesmo!
Tem um cachorro abandonado perto da sua casa? Cuide dele, se não puder adotar porque alguém na sua casa é alérgico, pelo menos dê água, comida, arrume um dono pra ele. Você não vai ganhar nada com isso, mas ele vai.
Seu guarda roupa está uma bagunça, cheio de roupas que você não quer mais usar ou não servem mais? Doe pra uma instituição de caridade, ou ao menos passe adiante pra alguém de sua família.
Tá com o cabelo alcançando a sua bunda? Diga pro cabeleireiro que você quer doar. Uma vez eu vi no Face uma ex-colega minha que cortou o cabelo pra doar pro Hospital do Câncer, e cara... precisa-se de mais pessoas assim no mundo Em abril desse ano eu cortei o cabelo e fiz progressiva, e ia vender o cabelo cortado (ia vender porque minha vó deu a ideia, mas pra mim grande coisa, até parece que eu ia lucrar com aquilo). Só que eu esqueci o cabelo lá, então não rolou =P . Eu nem sabia que dava pra doar, o lugar fica em São Paulo até onde eu sei, se eu soubesse, pesquisaria como e doaria.

Se você é do tipo que ajuda quem precisa, e sabe ser independente, valorize quem valoriza essas coisas, não quem fica reparando na roupa nova dos outros, ou nos defeitinhos da aparência alheia. Sua aparência vai enfraquecer na vida idosa, sua inteligência vai ficar quase invisível se você ficar senil, mas o seu caráter vai permanecer e as coisas boas que você faz ou já fez não vão ser apagadas.
Ser bonito é bom, olhar no espelho e gostar do que vê é bom, mas existem coisas mais importantes do que isso. Não precisa andar por aí com a roupa suja e rasgada feito um mendigo, mas também não precisa se preocupar com cada milímetro do seu corpo. Seja menos duro consigo mesmo, coloque uma roupa limpa, penteie e prenda o cabelo, coloque um desodorante, saia na rua e seja feliz independentemente do que você vê no espelho.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!