Homofobia & Casamento Gay

15 novembro 2014


Quantos aqui já cansaram de ler ou de fazer debates sobre assuntos polêmicos por conta da ignorância alheia ou porque o assunto já tá batido e todo mundo diz a mesma coisa?


É. Todo mundo. Mas vocês vão ter que aguentar mais um texto. Até eu ando com uma preguiça de ficar debatendo, porque pra mim é inútil: você sabe que nem todos vão concordar com você (por isso eu dificilmente me irrito com quem discorda), sabe que não vai fazer ninguém mudar de ideia, e que você vai passar um certo tempo gastando saliva com uma pessoa que, mais cedo ou mais tarde, vai ficar histericazinha porque não te convenceu ainda. Minha reação quando isso acontece é:


Não chego a ficar com raiva da pessoa, mas dá um cansaço... dá uma preguiça de prosseguir com meus argumentos...
Mas hoje eu vou vencer meu cansaço e vou manifestar minha opinião porque o blog precisa ser atualizado, apesar de o assunto já ter se tornado um clichê.

No domingo do dia 26 de Outubro houveram as eleições, tive que votar de manhã e já ir pro trabalho. De noite meu pai me buscou, e quando estávamos quase chegando em casa, de carro, ele disse que o resultado deu Dilma e Sartório. Detestamos a mistura de partidos (os dois já são uma merda separadamente, agora, imagina juntos...). 
Provavelmente ele demorou pra não estragar o clima, já que estávamos ouvindo música, conversando e rindo.
No dia seguinte, um colega de trabalho me disse que a Dilma iria legalizar o Casamento Gay. Não sei se é verdade, mas se for, parabéns: é uma das poucas coisas boas na lista de mudanças que vão acontecer. 

Observação: Me corrijam se eu estiver errada (de preferência uma pessoa que entende do assunto mesmo, não só quem acha que tá errado), mas não é bem a Dilma que vai cuidar disso sozinha (ou que cuidou). Geralmente um deputado propõe a ideia, o senado a aprova (ou desaprova), e em caso de aprovação, a presidente a põe em vigor. Claro que não é só isso que acontece, ocorrem discussões e debates até que a lei seja aprovada de fato, eu falei de forma resumida o que acontece. Estou apenas destacando que, nas próximas eleições, vocês devem tomar muito cuidado com os senadores e deputados que elegem, porque essa decisão é ainda mais importante do que a da presidência. Os projetos surgem mais ou menos da mesma forma.

Enfim, meu colega (não citarei nomes e tenho certeza de que ele não está lendo isso), achou um absurdo permitir uma "coisa dessas". Eu achava que estava mais do que na hora de isso acontecer.
Os gays devem ter o direito de serem felizes juntos, assim como nós, os héteros. Imagina se acontecesse com você: você se apaixona por uma pessoa, e essa pessoa corresponde. Ambas sonham em se casar desde sempre, mas, por algum motivo, vocês estão proibidas de fazer isso, e se fizerem, as consequências são graves. Já pensou se o governo te forçasse a se divorciar com uma pessoa que você ama? 
Vou citar alguns argumentos usados não só por ele, mas por outras pessoas com quem já debati sobre o assunto, não vou dizer qual é de quem. Se essas pessoas lerem, não estarão confrontando uma exposição (até porque não citei nomes, estou apenas falando o que eu penso sobre isso, e muitas coisas até já foram ditas na cara): estarão assumindo que falaram merda. 


"Ah, mas a bíblia é contra esse tipo de coisa, pode ler, tá escrito lá". Nem todos possuem a mesma religião que você, e nem são obrigados a isso. Vivemos em um país laico, temos católicos, evangélicos, luteranos, espíritas, e ateus também (eu sou uma, aliás). Tudo bem, pra mim também já não faz sentido eles se casarem na igreja, é como se um luterano resolvesse se casar em uma igreja católica, por exemplo. Mas o que tem de errado em eles se casarem no civil? Qual o problema de eles possuírem uma certidão de casamento? Por que eles não podem apenas ter uma união no papel, caso desejarem? Nem todos realmente querem se casar na igreja. E os que querem, não deveriam ser proibidos, (afinal, eles acreditam em Deus, e querem viver aquele momento de ouvir o discurso nupcial, e tudo) mesmo a bíblia dizendo que eles estão errados, ela também diz que eles possuem o livre arbítrio para fazerem o que quiserem. E que só Deus pode julgar elas,  mais ninguém. "Ah, mas não é uma questão de julgar, isso são regras". É sim. Você está tentando decidir o que elas deveriam ou não fazer, e isso é uma forma de julgamento. Ninguém te impede de discordar com elas, mas a sua opinião não deve possuir a intenção de interferir na vida alheia.  

"Ah, mas até o corpo humano contribui para que homens e mulheres fiquem juntos, eles se encaixam anatomicamente". Que? Você é um ser humano ou um quebra cabeça? Nunca vi argumento mais ridículo em toda a minha vida...

"Ah, mas eles não podem reproduzir". Ok, não podem reproduzir, mas se quiserem um filho, ainda possuem a opção de adotar. Tem tanto hétero por aí jogando fora o que os gays gostariam de ter e você fica aí gastando saliva com esse tipo de argumento. Se forem mulheres, elas ainda possuem uma segunda opção: inseminação artificial. Não sei se no Brasil existe algum laboratório especializado nisso, mas se tiver, problema resolvido. "Ah, mas alguém tem que reproduzir". ¬¬ Não se preocupa, alguém vai reproduzir, sim.

"Isso aí é pura modinha". Oi? Tudo bem que a moda causa um impacto ridículo no que as pessoas ouvem, vestem e fazem, mas isso não é moda. Acredito que quem é gay, nasce gay. Mesmo se demorar a perceber. Você se apaixonaria por um geek porque eles estão na moda, por exemplo? Não né, paixão é um sentimento, não uma escolha. E sentimentos não são controláveis, eles simplesmente acontecem. 

"Beijo gay é nojento". E por quê? Nunca entendi esse argumento, pra mim é a mesma coisa, duas pessoas trocando saliva (repare que só o fato de estarem trocando saliva já é nojento, você vai parar de beijar por causa disso?). Sem falar que se você namora, você vai beijar essa pessoa e vai transar. Não estamos mais no século XVI, as pessoas não esperam mais até o casamento para fazer isso e não abrem mão disso por conta da opinião alheia. Com os gays é a mesma coisa.

"Eles não deveriam ficar se beijando em público, é desconfortável olhar isso". Eu considero desconfortável assistir os amassos de qualquer um, não apenas dos gays. Mas mesmo assim, não dá pra eu dizer pro casal parar de se beijar, porque tá no direito deles: eles se amam e não param de se beijar porque fulaninho de tal não gostou. E se os héteros podem fazer isso com tanta liberdade, os gays deveriam poder também. É algo natural que todos os casais fazem.

"Mundo gay não dá". Esse sim foi um absurdo. DESDE QUANDO O MUNDO VAI VIRAR GAY SÓ PORQUE TEM ALGUNS GAYS DENTRO DELE? Ô gente paranóica, viu? Realmente, se o mundo inteiro resolvesse virar Gay, não daria certo porque ninguém se reproduziria e adotar não funcionaria por muito tempo. Inseminação artificial também não funcionaria, porque o óvulo da "doadora" teria que estar fecundado (provavelmente, eu acho). Mas acontece que não tem como o mundo inteiro se tornar gay: como eu disse antes, sentimentos não são controláveis, eles são duas pessoas que se apaixonaram uma pela outra e só. Isso não é contagioso, e não é uma moda lançada pela mídia. Quem é hétero, permanecerá hétero porque só sente atração pelo sexo oposto e deu. Ela nasceu assim, e será assim até o dia da sua morte, cada pessoa é diferente da outra, por isso é impossível que todas venham a possuir a mesma orientação sexual.

"Homossexualidade é doença e tem tratamento". By Marco Feliciano, hahahaha. Querido, me diz: cadê as provas de que essa sua asneira é verdade? Pra dizer se é doença ou não, seria necessário mais estudo, mais análise. Se for comprovado cientificamente que os gays possuem alguma anomalia no cérebro, aí sim poderia-se dizer que isso é uma doença. O que não é o caso.

"Isso é uma questão de orgulho também. Todo mundo fica feliz em dizer que seu filho foi pra universidade, se formou, escreveu um livro, descobriu a cura do câncer, mas ninguém se orgulha em dizer que seu filho virou gay". Isso não é uma questão de orgulho ou vergonha, e meu Deus, tomara que você não tenha filhos gays, coitados deles.  Como eu disse, é algo natural eles se apaixonarem por alguém, seja do sexo oposto ou não. E sobre a questão de se orgulhar ou não do seu filho gay, eu me orgulharia sim, caso meu filho (se um dia eu tiver um) assumisse a própria homossexualidade sem se importar com o que dizem sobre isso. Porque isso significaria que ele é forte, autêntico e não se permite abater pela crítica alheia. Acima de tudo eu ia querer que ele fosse feliz e não deixasse ninguém estragar isso, e torceria pra que tudo desse certo pra ele. Como todos os pais deveriam fazer, afinal, o seu amor de pai ou mãe é condicional? Você ama seu filho contanto que ele não seja gay? Por favor, né?

"Ah, mas a família é composta por pai, mãe e filho. Senão, não é família". Uma família é composta por pessoas que se amam, não importa quantas sejam ou como elas sejam. Se eu for estéril e me casar, isso por acaso invalidaria a minha relação? Tornaria ela errada? Se seu pai morrer, e você passar a viver apenas com sua mãe, você deixou de ter uma família? Se você é órfão de pai e mãe, vive com a tia, isso impede que ela seja considerada sua família? Claro que não, da mesma forma que, se seus dois pais são gays, vocês ainda são uma família, se suas duas mães são lésbicas, vocês ainda são uma família.



E pra finalizar o post em grande estilo...

Abra sua mentee, gay também é gentee, baiano fala óxentee, e come vatapá... ♪♫




Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!