blog Mulherzinha

31 janeiro 2015


Esses dias eu tava usando o celular, e, não lembro como, achei um blog perfeito chamado blog Mulherzinha.
Ele é um blog totalmente feminista, abrangendo os mais diversos tópicos desse movimento social, no ponto de vista da autora, a Paula Dutra.
"Ah, mas por que Mulherzinha para nomear um blog feminista? Isso aí não era xingamento?". Pelo menos não era pra ser. Se ser chamada de "mulherzinha" é ofensivo, é porque tem machismo no meio. A mulher não é inferior ao homem (e lembrem-se: o homem também não é inferior a mulher).

Os textos que a Paula Dutra escreveu não apenas me fizeram lembrar de várias coisas sobre as quais eu já havia pensado (por exemplo, a existência de mulheres machistas), e também me fizeram refletir sobre coisas com as quais eu não havia me aprofundado, por exemplo: chamar alguém de filho da puta é sim um ato machista, porque a mulher deveria ter a liberdade de fazer o que bem entendesse com o próprio corpo, sem ser rotulada por causa disso. E cara, se uma pessoa erra, xingue ela, não a mãe dela.
Agora vamos aproveitar o tópico abordado pelo post dela, e analisar: quantas vezes por dia a gente xinga as pessoas de modo machista e/ou homofóbico sem querer, apenas por causa de um momento de raiva? Eu percebi que preciso mesmo excluir certas palavras do meu vocabulário, não por serem palavrões, mas porque usar elas é contraditório, por exemplo: porque estou usando "cadela" como xingamento, se eu acho que a mulher solteira pode fazer o que bem entender? E acha que é apenas essa que está carregada de preconceito? Vejamos outras:

Viado (e seus sinônimos): Nossa, eu simplesmente odeio usar isso como xingamento, porém, quantas vezes aconteceu de eu estar correndo pra pegar o ônibus, o motorista ir embora no exato momento no qual eu o alcanço, e eu soltar um "viado" sem querer? É praticamente instantâneo eu me repreender internamente por ter usado isso como xingamento. Detesto homofobia e não vejo nada demais em ser gay, então não faz sentido chamar alguém de viado como se tivesse algum problema caso ele fosse. Pelo menos piadas homofóbicas eu não faço. E tem os sinônimos, que eu não uso, mas muita gente usa: bicha, boiola, baitola, biba, etc.

Virgem: Ok, isso não tem a ver com machismo nem homofobia, mas tem preconceito metido no meio, sim. O que tem de tão errado em ser virgem? Só porque uma pessoa é virgem, não quer dizer que ela seja ingênua, inocente, romântica e vive num mundo de arco íris e unicórnios. Apenas não chegou a vez dela ainda, e nem sempre isso acontece rápido. Quem nunca foi virgem, né?

Vagabunda (e seus sinônimos): Como eu disse antes, a mulher tem o direito de fazer o que quiser. Por que quando a mulher dá pra deus e o mundo é um absurdo, uma polêmica, mas quando o homem faz o mesmo não é nada demais? "Ah, ele é homem, então tá tudo bem". Isso que pra alguns isso é até motivo de orgulho. E tem os infinitos sinônimos: piranha, cadela, vaca, puta, vadia, prostituta (essa aí lucra), égua... e tem também o "puta que pariu" e o "filho duma puta". Cara, eu já usei tanto esses palavrões que até perdi a conta, fico até pensando o que eu vou deixar sair da minha boca na próxima vez que eu bater o dedinho na quina da mesa... e como xingar aquela garota que fica se engraçando com o cara que você gosta? Boba? Bom, acho que até rola chamar de cretina, desgraçada, ordinária, etc, rs.

Corno: Não sei se vocês se tocaram, mas é machista sim chamar um homem de corno. Quando a mulher é traída ela é a vítima, mas quando um homem traído ele é um corno, trouxa, motivo de vergonha? Que não percebeu, ninguém mandou não trepar direito? Por favor!
Isso surge daquela ideia antiga de que o homem é totalmente obrigado a saber dominar, guardar e cuidar da sua mulher, se ela fizer algo errado, ele que é o fracote que não foi homem o suficiente ora ficar de olho. Mas a verdade é que ele não tem culpa da falta de caráter da namorada dele, que se ele for esperto, vai se tornar ex assim que ele descobrir que foi traído.

Franguinho: Se o homem não for todo corajoso, ele é franguinho. Se a mulher não for toda corajosa, tudo bem, é coisa de mulher mesmo. Ambos saem perdendo com isso, o homem porque fica fadado a sempre pagar de corajoso, nunca poder demonstrar medo, e a mulher porque acaba sendo vista como frágil e incapaz de se defender. Porém: a mulher pode se defender, e o homem pode sentir medo. Ela pode pegar um tênis para matar a barata, tanto quanto o homem pode querer sair correndo ao primeiro sinal de um bater de asas. E por quê? Porque é natural, todos temos nossos medos e cada um lida com isso de um jeito diferente.

Não lembro se esqueci de algum, mas fiquei tipo, nossa =O Meu Deus, e agora, se um dia eu namorar, do que eu vou xingar as garotas que se engraçarem pro meu "amor"? Porque vai dizer, a primeira palavra que vem na sua cabeça é sempre vadia, vagabunda, puta, piranha... e etc. 
Ideias: dissimulada, resto de aborto, desgraçada, cretina, pedaço de bosta, vômito de babuíno... sejamos criativas. 

Tem também um outro post dela, sobre os gays precisarem ou não assumir quem são, mas isso já dá um outro post sobre isso, sobre o meu ponto de vista e algumas coisas que eu vi e ouvi.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!