Team Nicholas Sparks

06 janeiro 2015


Se tem uma mania que eu amei ter pegado foi a de colecionar livros, tem tanta gente que prefere ler em PDF porque "livros ocupam muito espaço", eu amo comprar justamente por causa disso: nada como bons livros para ocupar bem o espaço da minha prateleira (e de quebra dar uma decoradinha básica também, rsrsrs).
Comecei a querer colecionar livros de autores específicos também, mais ou menos no meio do ano eu terminei todos os livros do John Green (veja o post aqui), e não satisfeita, ainda quis completar o "grupo" lendo A Estrela que Nunca vai se Apagar.

Mas... fazia muito mais tempo que eu cismei que queria todos os livros do Nicholas Sparks, e na época John Green nem tinha lançado livro nenhum, eu até tinha blog, mas não pensava em post, só queria ler mesmo.
Agora que o tempo passou, coloquei na minha cabeça que não só queria ler todos os livros do Sparks como também queria fazer um post sobre isso. Deve ter sido uma das poucas vezes na qual eu paguei pra fazer um post (porque eu tive que comprar os livros jura?).
Agora, sem mais delongas, vou falar sobre os livros um por um (o mais resumidamente possível, prometo).



Eu tava doida pra fazer esse post...





1 O Resgate: Por coincidência, a primeira imagem que eu achei foi do último livro que eu li dele. Fala sobre uma mulher que, por acidente, acabou engravidando de um homem que conheceu em uma balada. Ele não quis assumir o filho (no caso, isso é previsível quando se trata de babacas que você conhece em festas), e ela teve que criá-lo sozinha. A partir de uma certa idade dava pra notar que ele era diferente das outras crianças, em plenos quatro anos não conseguia falar muito (como se ainda tivesse menos de 2), e também não conseguia entender o que os outros diziam a ele. Ela não namorava ninguém porque ninguém ligava pro filho dela, e como havia se mudado para cuidar da criança, também não tinha muitos amigos.
O livro começa com uma cena de acidente, na qual o filho dela some. Quem encontra é Taylor, um bombeiro voluntário da cidade, eles vão se apaixonando mas existem vários obstáculos que vão atrapalhar eles um pouco (e eu não estou falando do filho dela). Vale a pena ler, pra quem gosta de um certo drama.

2 O Milagre: Jeremy é um famoso colunista da Scientific American, em Nova York, responsável por desvendar vários casos de falsos videntes, espíritas, etc. Ele era totalmente cético e realista, até ele ser induzido a fazer uma matéria em uma pequena cidade chamada Bone Creek, onde conhece uma garota chamada Lexie. Ela era bibliotecária e tinha um certo romantismo, mas por conta de suas experiências, também tinha medo de se apaixonar. Sobre esse livro, um aviso: na contra capa está escrito que lendo esse livro, até mesmo os mais amargurados vão voltar a acreditar no amor. Tudo mentira, rs. Se você for pelo menos um pouco realista, vai saber que mesmo uma ficção bonita e otimista continua sendo só uma ficção.

3  À Primeira Vista: Ele é a continuação de O Milagre, e eu não posso falar desse livro sem dar spoiler, o que estragaria uma certa parte do primeiro livro. O que eu posso dizer é que tudo dá certo no final, e que é aquele tipo de final repentino que eu costumo reclamar (só não é mais repentino do que Escândalo, da Therese Fowler, porque sinceramente? Nenhum livro nunca vai superar aquele, haha).

4 Diário de uma Paixão: Ah, esse todo mundo conhece, né? É aquele clichê de namoro proibido: garota rica se apaixona por rapaz pobre durante a adolescência, e os pais dela não deixam eles ficarem juntos. Com o tempo ela fica noiva, mas um anúncio de jornal faz ela se lembrar do seu primeiro amor, e decidir procurá-lo. Quem narra a história é o próprio primeiro amor dela, que estava lendo o diário que ele escrevia, durante a narrativa eles já estavam idosos, e ela tinha mal de Alzheimer, mas por um motivo misterioso, lembrava-se deles às vezes. "Será a força do amor?" ¬¬ Apesar de todo esse melodrama é uma boa história, cheia de trechos bonitos do tipo que você vai querer postar no Face depois.

5 O Casamento: É como se fosse um "Diário de uma Paixão 2", mas não é uma continuação. Nesse o filho do casal Noah e Allie (do amor proibido), procura Noah para conseguir conselhos amorosos. O casamento dele tava em crise e ele precisava descobrir um modo de "fazer a chama reacender".

6 Uma Curva na Estrada: Miles Ryan é um policial que vive sozinho, cuidando de seu filho o qual eu esqueci o nome. Ele era viúvo há dois anos, pois sua mulher havia morrido (sério?) em um acidente de carro aparentemente criminoso, mas por mais que ele tentasse, nunca conseguia achar o culpado. Um dia, a professora de seu filho chamou-o na escola pois o menino apresentava dificuldades com a matéria, portanto ela ofereceu um "programa de estudos", digamos. Como ela ajudava o filho dele no final das aulas, eles se viam todos os dias e acabaram se apaixonando, enquanto ele ainda tentava descobrir quem matou sua esposa.
Se tem uma coisa que eu adorei nesse livro foi aquele clima de suspense, paralelo à história haviam também as palavras do assassino, que se sentia culpado pelo que fizera. Esses relatos me fizeram ficar o livro inteiro adivinhando quem era, não por ansiedade, mas porque era inevitável: mais cedo ou mais tarde eu ia pensar algo como "ahá, foi o Sims, eu tenho certeza". A resposta: não era o Sims, não adianta teimar (que eu me lembre o nome dos suspeito era Sims, um homem que tinha passado tantas vezes pela cadeia que ficou traumatizado e com medo de ir para lá, mas o seu vício em bebidas agia contra ele).

7 O Melhor de Mim: Outro caso de amor proibido entre a rica e o pobre: os pais da garota não a deixaram ficar com ele de modo algum. Só que o caso desse livro é um pouquinho mais dramático: ela se casou com um alcoólatra filho da puta (que eu me lembre), e tinha filhos. Ele, por sua vez, teve uma família extremamente violenta e problemática, que o detestava simplesmente por não seguir o mesmo rumo que eles: o da criminalidade. Pra vocês terem uma ideia, Dayson (nome do protagonista), tinha que sabotar as próprias notas para não passar horas apanhando com uma barra de ferro em casa.

8 O Guardião: Julie tinha um casamento feliz, até a morte de seu marido. Quarenta dias após a morte dele, ela recebe uma encomenda enviada por ele, e dentro da caixa havia um cachorro, que acabou se tornando o melhor amigo dela. O melhor amigo dele começou a se apaixonar por ela, mas não tomava iniciativa porque achava errado (ele estava indo atrás da mulher que seu finado melhor amigo amava, é compreensível).
Porém, aparece um "príncipe encantado" no caminho dele: um homem todo perfeitinho começou a levar a Julie para sair, e tudo estava indo bem entre eles, até que o "mozão" teve que viajar para ir no suposto funeral da mãe. Nesse meio tempo, o amigo do marido morto dela conseguiu sair com ela. Quando o perfeito voltou, ela teve que terminar com ele e ele surtou. Passado um tempo ele foi se revelando um perigoso psicopata e... o resto eu não posso falar pra não estragar a leitura. Mas posso garantir que é justamente o psicopata que deixa o livro completamente foda, ainda mais quando as investigações começam e eles começam a formular estratégias para desvendar o passado dele.


9 Um Porto Seguro: Mais um livro com características que eu gosto: ação. Katie era uma mulher que sofria nas mãos do marido violento, que a agredia por absolutamente qualquer coisa e sempre achava que tinha razão nisso, como se a culpa fosse totalmente dela. Uma das frases ridículas dele era: "eu amo ela e não queria agredir, mas é que às vezes ela não sabe o que faz". Quem bota a culpa na vítima merece sempre uma chinelada na cara, na verdade bem mais que isso. Coincidentemente quando eles se conheceram, ela estava sendo assediada por estranhos na rua e ELE a defendeu, pra depois também cometer abusos.
Ela deu um jeito de fugir furtivamente, trocar de identidade e se mudar para outra cidade, onde conheceu Alex, um viúvo que dedica-se para cuidar da filha. Eles acabam se apaixonando, como em todos os livros, e ela fica meio receosa no começo, por conta do que ela passou.
Os melhores livros do Nicholas Sparks são sempre aqueles em que ele adiciona um pouco de ação e mistério no enredo (ou melhor: os dois ♥), e nesse ele caprichou na ação, principalmente nas partes finais, que pra mim foram as melhores e eu queria muito poder falar quais eram, mas não vou dar spoiler dessa vez.

10 Uma Carta de Amor: Enquanto caminhava na praia, a colunista Therese Osbourne encontra uma carta de amor, dentro de uma garrafa. Encantada com o romantismo da mensagem que era destinada a um amor perdido para a morte, ela mostra para a sua chefe, que também era sua melhor amiga. A chefe persuade-na a publicar a carta, ocultando o verdadeiro nome do autor, e isso a leva a descobrir mais duas cartas, igualmente lindas. Ela acaba se encantando com a ideia de existir uma pessoa assim tão fiel, e convencida pela sua amiga, decide correr atrás do autor das declarações. O resto vocês já sabem, né? "Eles acabam se apaixonando" (não precisava nem dizer, porque sendo um romance...).

11 Um Homem de Sorte: Logan Thibault era um fuzileiro naval que encontrou a foto de uma bela mulher, e decidiu guardá-la para si, acreditando que a encontraria para devolver. Mas não devolveu e por um motivo, ficou com a foto (livros... '-'). Coincidentemente ele sobreviveu a três tragédias, e em todas ele estava carregando a foto consigo (não sei o que levaria alguém a levar a foto de uma desconhecida para a guerra, mas ok, vamos perdoar porque é uma ficção). O melhor amigo dele era bastante supersticioso e acreditava piamente que foi a foto que salvou ele (em pensar que na vida real tem muita gente que pensa do mesmo jeito...). Eles sobreviveram, e decidiram sair do exército, mas o melhor amigo dele não escapou de morrer em um acidente de barco à remo, quando eles estavam apenas relaxando. Por conta de seu melhor amigo, ele decide cruzar o mundo a pé em busca da dona de seu amuleto da sorte (ficções, gente, ficções... tá parei). Quando ele a encontra, acaba saindo como um suspeito por causa da história que ele contou e das omissões (ele não falou da foto). Ela era divorciada, e o marido sempre afastava os pretendentes porque não queria um desfile de homens na vida do filho que ele "amava", mas esnobava pelo fato de o garoto não gostar de esportes e preferir coisas como xadrez e livros. Aparecem vários obstáculos, mas como na maioria dos romances, tudo dá certo.
Ah, detalhe: nas últimas páginas você vai ficar meio chocado achando que aconteceu alguma coisa, tipo "o quê? Não, não pode isso", mas depois vai ter um momento "rááá, pegadinha do malandro" e você vai ficar entre: "ah tá, que alívio" e "me assustou, seu filho da puta".

12 Um Amor pra Recordar: Se você não conhece essa história, eu não sei se te dou uma chinelada na cara pela sua falta de informação ou se te dou um abraço por inveja da minha parte: antes mesmo de ler eu já sabia exatamente o que ia acontecer só pelo que eu já vi na internet, e nem o filme eu tinha visto ainda (prefiro ler o livro antes), de tão famoso que ele é. A história é sobre um garoto ateu e rebelde que sempre falava mal da filha do pastor da cidade, mas que acaba se apaixonando por ela quando ela pediu/implorou pra ele dividir o papel principal da peça de Natal da escola, cujo enredo havia sido criado pelo pai dela, baseado na história dele. E todos sabiam disso, por isso achavam encantador e a peça fazia sucesso todo ano, mas nesse ano era especial porque a filha dele ia participar. Ok, ela não queria que ele se apaixonasse, ele riu disso no começo mas acabou gostando dela. Quando já não tinha mais volta, ele descobriu que ela tinha câncer e que restavam pouquíssimos dias de vida. Antes da morte dela, ele decidiu realizar um sonho que ela tinha, agora chegou a hora de eu ser gentil e não falar que sonho é esse.

13 Querido John: Esse é outro livro que antes mesmo de eu começar a ler, já sabia mais ou menos qual era o enredo da história. João John foi um adolescente rebelde que não aceitava o fato de que enquanto todos ganhavam carros no aniversário de 16 anos, ele ganhava uma simples moeda rara do pai, que era um colecionador compulsivo. Os amigos dele foram se dividindo em grupos conforme os gostos mudavam, e como ele não tinha condições financeiras de conseguir as mesmas coisas, acabou ficando de fora, e revoltado, declarou seu foda-se à eles. Ele não quis ir para a faculdade, e quando se cansou de ir de um emprego medíocre para outro, decidiu entrar para o exército. Durante uma de suas licenças, acaba conhecendo a doce, inocente e certinha Savannah, por quem acaba se apaixonando (novidade), eles vivem duas semanas mágicas (porque em livro é possível encontrar o amor verdadeiro nessa velocidade), mas ele precisou voltar para o exército. Eles se comunicam por cartas românticas, contando tudo o que ocorria na vida deles. Essa não é uma história otimista, e as coisas não acabam bem para John. *Xablau*

14 Noites de Tormenta: Adrienne é uma mulher de 45 anos que foi abandonada pelo marido, quando achava que passaria a vida ao seu lado. Arrasada, ela aceita a proposta de uma amiga, para cuidar de sua pousada na praia. Porém, quando ela tentava relaxar, houve uma enorme tempestade e um hóspede apareceu: Paul Flanner, um homem que sofreu muito na vida para conquistar o sucesso profissional, e que perdeu a esposa por passar tempo demais trabalhando. Em uma semana eles se apaixonam intensamente, mas ele precisou ir para o Equador resolver as coisas com o filho, e ficaria lá por um ano. Apesar das dificuldades, eles dão um jeito de ficarem juntos, como em quase todos os romances. Não tenho nada contra esse livro, mas ele foi um pouco parado e eu gostei mais de estilos como O Guardião, Uma Curva na Estrada e Um Porto Seguro, com um drama mais intenso, com ação ou com ao menos um pouco de suspense.

15 A Última Música: Esse vocês conhecem né? Um livro da época que a Miley ainda era uma doce flor, ingênua e inocente, até que... I CAME LIKE A WREEEEECKING BAAAAL JKSJBJUY! É foda. Mas é a vida dela e ela faz o que ela bem entender. Enfim, vamos ao livro: ele fala sobre Ronnie, uma garota que se tornou rebelde e revoltada por conta da separação dos pais, e que foi obrigada a passar um tempo com o pai e o irmão, na praia. Ela achava que o pai dela havia abandonado a família, por isso sentia tanta raiva e isso se refletiu na personalidade dela. Um dia, quando estava andando na praia, foi atingida por uma bola de vôlei. O "culpado" era o popular Will Blakelee, no começo ela foi ríspida com ele assim como era com todo mundo, mas eles acabaram se apaixonando enquanto protegiam um ninho de tartarugas que ela e o irmão caçula encontraram na praia. E voltamos com o clichê do amor proibido, só que dessa vez ELA é a garota pobre que se apaixona pelo riquinho. Nesse caso o drama foi mais leve e na verdade eles não eram proibidos de namorar, apesar de ter ficado claro que os pais dele não gostaram de Ronnie. O drama é todo voltado para as relações de família e às revelações que vão ocorrendo ao longo da história.


16 Uma Longa Jornada: Essa foi a primeira vez que Sparks conta duas histórias ao mesmo tempo, para depois uní-las. De um lado, uma garota que foi traída três vezes pelo namorado (isso mesmo, TRÊS, não uma nem duas, mas TRÊS vezes), e que finalmente havia decidido que ele não prestava, mandou tomar no cu, terminou tudo e é isso aí (aleluia, XABLAU o/ me empolguei). Ela não queria mais sair de casa porque ele ficava indo em todo lugar que ela ia, propositalmente, mas a melhor amiga a convenceu a ir num rodeio onde ela se apaixonou por um toureiro e viveu um amor todo cheio de drama e tal, mas que deu certo, pra variar.
De outro lado, um viúvo, ao sofrer o acidente, revivia todos os momentos que passou ao lado da esposa, desde o início da relação, enquanto estava encurralado sem ter como sair do local da tragédia. No final, as histórias deles se cruzam quando o casal feliz encontra o acidentado, enquanto andavam de carro. Cês devem achar que eu dei um spoiler fatídico, mas só quem leu sabe que tem muita coisa faltando nesse meu resumaço.

BÔNUS >> FATOS SOBRE NICHOLAS SPARKS:

x Todas as histórias dele ocorrem na Carolina do Norte, sem exceção, porque é a terra natal dele.x Ele sempre usa nomes dos filhos, da esposa, da agente, da tradutora, da editora, da empregada, do cachorro, e do cara que mora logo ali pra mostrar o quanto adora eles.x Ele pediu desculpas em vários livros por atrasar os manuscritos dele (que feio, hein? Não pode ser atrasado assim u.u)x Ele é casado com frases como "se ele se sentiu ofendido, não demonstrou", "se ela ficou surpresa, não demonstrou", "se ele ficou espantado, não demonstrou". Que mania, hein? Acho que só não apareceu em um ou dois livros, de resto todos têm essa frase a cada sei lá, cinco páginas?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!