Você não é um escravo, é só um funcionário

03 janeiro 2015



É incrível a frequência com que as pessoas reclamam do trabalho hoje em dia: experimente entrar em seu Facebook em um domingo à noite e choverá postagens de gente reclamando que "ah não, amanhã já é segunda feira". 
Pessoas, entendam: reclamar do seu trabalho, resmungar toda vez que seu chefe te pede alguma coisa, não irá te teletransportar para uma mansão em Paris. Então se por enquanto você não pode conseguir algo melhor, apenas cale a  sua boca e faça. Dê o seu melhor, ganhe experiência. Ao contrário do que você pensa, você não está sendo escravizado: você recebe um salário, paga suas contas, se alimenta, suas folgas e horas de descanso estão dentro da lei. Mude-se para a China e saberá o que é escravização.
Tudo bem, todo mundo já reclamou de acordar cedo. Todo mundo já ficou mal humorado de manhã por excesso de cansaço, mas o seu trabalho é a sua obrigação diária e seu chefe não se torna um tirano por mandar você fazer o que você tem que fazer.
Você não precisa deixar tão claro o quanto você detesta o seu trabalho, é totalmente desnecessário perguntar as horas a cada 5 minutos, querendo saber se já está perto da hora de ir embora. Lembre-se: o ouvido do seu colega não é penico, deixe-o trabalhar em paz e guarde sua insatisfação com a vida para você.
Se o lugar no qual você trabalha definitivamente não é o seu ramo, não é o que você quer para a vida, um conselho: trabalhe mesmo assim, porque você precisa do salário. Você precisa manter as contas em dia, e se você é jovem, não precisa pagar as contas, certifique-se de que não vai precisar pedir nada para o papaizinho. É totalmente ridículo uma pessoa que já tem 18, 19 anos ficar reclamando que "o idiota do pai dela" não deu o celular que ela queria. Quer um celular novo? Trabalhe, batalhe e dê o seu jeito, pouco importa se você vai juntar dinheiro para pagar mais rápido ou se vai pagar parcelado, correndo o risco de se atolar em dívidas.
Quer algo melhor? Estude, faça os cursos necessários, estude um pouco mais, pesquise. 
Teve seus problemas pessoais e não conseguiu passar de ano? É compreensível que você tenha sido vencido pelo cansaço, mas não desista, continue tentando. Porque se você realmente deseja tanto alguma coisa, não é uma desistência que vai te ajudar a chegar lá.  Deixe o passado no passado e apenas siga em frente.
Não seja um desistente, seja um lutador. 

Para chegar lá, você não precisa apenas de estudo e formação acadêmica: precisa de experiência profissional, mesmo se os seus trabalhos anteriores não tenham nada a ver com o seu objetivo, saiba que quanto mais relações você tiver, maiores serão as chances de um amigo te avisar sobre uma oportunidade perfeita. 
Não discuta com o seu chefe se ele te corrigir ou te xingar, porque essa é a função dele: ele precisa garantir que a empresa se mantenha nos eixos. E você precisa do trabalho, da experiência e do dinheiro. 
Se você não consegue ser "o" profissional, tente ao menos não ser uma catástrofe. Chegue na hora, obedeça as normas da empresa, use o uniforme sempre limpo, evite confusões com a chefia ou com os colegas, evite brigas com a clientela e você estará bem perto de ser um bom funcionário. Os elogios são irrelevantes, nem sempre as pessoas irão te bajular e as críticas são uma ponte para o seu desenvolvimento pessoal. Aceite-as em vez de condená-las, é assim que nascerá o aprendizado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!