#Playlist Xô, bad Vibes!

11 fevereiro 2015


Dessa vez eu não viciei em tantas músicas ao mesmo tempo, foram só três. Talvez isso nem merecesse um post com playlist, mas resolvi fazer mesmo assim. Acabei até pensando: quanto tempo faz que eu resolvi parar de ser pessimista, mesmo? 
Fui pesquisar, e vi que foi pouco antes de 28 de Setembro de 2014. "Mas como assim pesquisar, Amanda?". Eu fiz essa playlist quando tinha começado a tentar, e agora que vi a data, me surpreendi. Eu bati meu recorde! =O Porque até um tempo atrás, toda vez que eu achava que tava tudo certo e resolvia que ia ser "mais otimista daqui pra frente", não dava nem duas semanas e eu já fechava a cara de novo.
Mas dessa vez foi diferente, eu realmente refleti antes de tentar, fiz vários posts bonitinhos e tal, sobre as coisas que eu tinha aprendido comigo mesma. 


Não pretendo me afundar novamente tão cedo, e estou evitando coisas negativas. Tipo músicas deprimentes, e tal. O problema é que às vezes parece que é só isso o que tem. Em Demons, do Imagine Dragons, ele diz: "Não chegue muito perto, está escuro dentro de mim", ou algo assim. A música é sobre ele estar totalmente deprimido e não querer demonstrar muito isso para a garota, pra ela não ficar assim também. Ele quer esconder a verdade, pra não contaminar ela, mas também quer mostrar a verdade, pra não enganar ela. A letra me chamou a atenção por causa disso, e eu pensei: esconder essas coisas nem sempre quer dizer que você tá enganando a pessoa, se for pra não preocupar a pessoa, ou pra não ser julgado por ela, o que tem de errado? A pessoa só teria que entender isso, no caso.


Em "Me and My Broken Heart" é pior ainda, o ritmo pra mim é tão viciante quanto o de Demons, mas é mais triste ainda: ele se demonstra totalmente dependente da garota, desmorona se ela não estiver por isso, mas ela esnoba ele. Tá vendo o que acontece quando você coloca na sua cabeça que a sua felicidade depende de alguém? Você não precisa de ninguém, qual o problema de ficar sozinho? Eu acho tão bom, todo mundo precisa de um tempinho, sabe? De auto-conhecimento, de auto-direcionamento, de auto-aprendizagem, de auto-amor... de auto tudo. 

Enfim, acho que de todas as três, a que mais chegou perto de ser positiva mesmo, foi It's Time, do Imagine Dragons. E até rolou uma identificação com algumas partes, principalmente a do começo, sugerindo que a pessoa está cansada de se manter na fossa. Depois tem uma parte dizendo que antes de conseguir coisas boas, você tem que aguentar as ruins. E não deixa de ser verdade, as coisas ruins te ensinam coisas, e é a partir desse aprendizado que começam a surgir as coisas boas.

Então é isso o que você quis dizer quando você disse que estava exausta e agora é hora de construir a partir do fundo do poço.- Imagine Dragons

Ah, mais uma coisa sobre It's Time: amei a batidinha do começo, botei até como toque de celular, hehehehe... sou apaixonada por "batidinhas", repararam? Meu instrumento favorito é a bateria (mas não a do meu vizinho, com certeza ¬¬ Ele espanca a coitada, e ainda estraga as músicas), porque dá pra extravasar bem sentimentos como a raiva e a euforia (não sei tocar, mas dá pra imaginar o efeito emocional), e me faz ficar batucando na coxa ou na primeira mesa que aparecer na minha frente (barras, prateleiras e corrimões também servem).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!