Sair ou não do armário?

03 fevereiro 2015


No final do último post, aquele que eu falei sobre o blog Mulherzinhas, eu disse que a questão de o gay dever se assumir ou não daria um post separado sobre o assunto, né? Pois aqui está.

Faz pouco tempo que eu comecei a refletir sobre esse assunto. Até um tempo atrás eu achava perfeito quando um gay se dizia gay sem ligar para o que os outros pensam, no meio desse mundo preconceituoso onde ele corre o risco até de ser linchado na rua apenas por amar alguém do mesmo sexo e contar isso.  Eu achava que era um ato de coragem e personalidade.
Comecei a repensar meus princípios quando vi o seguinte vídeo do Luba:


Quando ele disse "ninguém fez nada de errado pra ter que 'assumir' alguma coisa", eu lembrei de todas as vezes que eu disse que gosto de gente que se assume, e tentei lembrar se eu já cheguei a comentar isso no canal dele. Não que eu ache que ele possa ter dado atenção a um comentário meu, só pensei que se fosse o caso, ele pode ter entendido errado.
Eu jamais diria isso na intenção de atacar alguém verbalmente, e nunca nem reparei que alguém poderia pensar por esse lado, de estar errado e ter que assumir isso. Nunca achei nada de errado em ser gay, e quando eu digo que quem é gay deveria se assumir em vez de esconder, não é por achar que eles deveriam assumir o erro, e sim por achar que eles não deveriam ter vergonha de ser quem são. Que a sociedade já pressiona demais as pessoas e eles não precisam se deixar dominar por isso. Se alguém perguntar: "você é gay?", basta dizer: "sim, sou, e a louça, já lavou?". 

Agora, com esse post, voltei a refletir sobre o assunto: se não fosse pelo preconceito existente contra os gays, será que eu acharia um gay tão foda e corajoso quando ele assume quem ele é? Será que eu ficaria tão feliz quando entro no facebook e vejo um: "José casou com Luís, sem medo do que os outros vão pensar"?
Lógico que não, porque não faria diferença. Heterossexuais, como eu, não precisam nunca contar que beijam, transam e amam alguém do sexo oposto. Nós não precisamos "nos assumir sem vergonha". Então por que eles precisam?
Eu sou super a favor de eles agirem naturalmente, usarem o que quiserem, beijarem quem quiserem e onde quiserem sem ter medo de serem julgados. Se o hétero pode beijar em público e ser apenas uma cena de afeto, o gay deve ter o mesmo direito. Porque continua sendo apenas uma cena de afeto. Se o hétero pode atualizar o status do Face de "solteiro" para "em um relacionamento sério com...", o gay também pode fazer isso. Ele tá comprometido, ué! Não cantem nem chamem pra sair! u.u
Mas se tem uma coisa que eles não deveriam precisar dizer pra alguém é: sou gay. Os héteros nunca precisam responder a pergunta: "você é hétero?", então porque os gays devem essa satisfação para os pais, amigos e o resto da sociedade inteira? Porque ele tem que fazer essa revelação, torcendo com todas as suas forças pra não ser odiado?
Isso é ridículo, é doentio. E é lamentável a existência de campanhas contra a homofobia, é deprimente as pessoas precisarem fazer blogs inteiros sobre feminismo. Caralho, estamos no século XXI, e o machismo ainda é grande o suficiente pra dar assunto pra um blog inteiro! Estamos no século XXI e ainda temos que explicar que ser gay é apenas gostar do mesmo sexo ou de ambos os sexos, nada mais que isso e nada de errado com isso! EVOLUAM, PESSOAS! Me exaltei, rs

Concluindo, sim, seria bom se todos os gays "saíssem do armário", mas não dando satisfação para as pessoas e sendo obrigados a responder a interminável pergunta: "Você é gay?", nem sendo ultra-corajosos por mostrar isso para as pessoas, e sim, agindo naturalmente, sendo quem eles são sem medo de porra nenhuma. E sem necessidade de negar quando perguntam, porque caralho: não tem nada demais. As pessoas precisam apenas de uma pia cheia de louça pra lavar. Essa autenticidade, na minha opinião, é positiva atualmente. Mas seria ainda melhor se não fosse tão positivo. Nem negativo, mas sim, apenas uma pessoa que gosta de alguém do mesmo sexo. Algo do cotidiano que é banal demais para gerar tanto escândalo, e que qualquer um deveria arquear as sobrancelhas ao ver alguém se alterando por causa disso. Tipo, a mesma cara que eu faço quando vejo o debate do "é biscoito ou bolacha". 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!