Não seja tão perfeccionista

21 março 2015


Pare de cobrar tanto a si mesmo. Quando foi que começamos a querer acertar tanto? Será que foi na escola? Provavelmente sim, pelo menos no meu caso.
Vou introduzir esse post com uma "historinha":

Nunca fui de fato a mais inteligente da sala, embora já tivesse sido considerada. Eu sempre estive entre os alunos mais esforçados, mas sinceramente? Se um dia eu me candidatar ao cargo de contadora da sua empresa, não me contrate. Para meu bem, para seu bem e para o de todo mundo, porque eu sou péssima em matemática, eu sou péssima em qualquer coisa que envolva cálculos e vou falir em questão de segundos o projeto que você demorou anos para construir. Isso se deve a um problema de concentração que eu tenho, e que eu tento consertar (juro kkk).
Esse meu problema de concentração garantiu várias notas baixas em matemática, física, química e etc. E mesmo assim meus coleguinhas achavam prudente fazer dupla comigo na prova de matemática, mas é óbvio que eles acabavam levando bomba comigo e se ferravam. No fundo eu me divertia com isso (principalmente quando era um dos idiotas do fundão), e no final, sempre ficavam surpresos: "nossa, mas você é inteligente, como isso aconteceu?". O fato é que eu era esforçada, eu detestava notas baixas, detestava ser reprovada, e me sentia mal quando as recebia. Eu me sentia burra quando isso acontecia, mas não aceitava ser considerada perfeccionista porque eu não queria a nota máxima: eu não precisava de um 10, ter a média e passar já tava de bom tamanho. E só por isso eu achava que era mais desencanada.

Mas eu não era, eu era neurótica, isso sim. Sempre querendo cumprir todas as regras e fazer tudo do melhor jeito possível. Nunca precisei ser destacada, não pretendia ser a melhor de todas, mas me chorava toda se eu falhasse. 

 Ah, detalhe: se levando nota baixa em matemática, matéria na qual eu sempre fui uma negação, eu já enlouquecia, imagina se eu levasse em inglês, ou em português, algumas de minhas matérias favoritas? "Sama o shamu. Gente: a Amanda está DES-MAIADA", hahahahaha.


Não que eu nunca tenho matado aula, me atrasado, faltado, colado na prova ou discutido com o professor. Para cada uma dessas coisas, eu fiz no máximo cinco vezes, mas ainda assim é muito menos do que meus colegas. Não estou diminuindo eles, mas é verdade, não são coisas que eu fazia com frequência.

Agora que eu terminei o Ensino Médio eu fui me tocar: minhas notas não definem a minha inteligência. 
Eu compartilhava esse tipo de frase no Face, Tumblr e etc, mas acaba servindo mais como um consolo do que como uma filosofia de vida. Vou levar isso para a faculdade pelo menos, pra eu não ficar tão tensa caso surja uma nota baixa. Isso não significa que eu deva relaxar e simplesmente deixar que tudo desabe, mas pra quê tanto auê? Basta estudar, se esforçar e esse tipo de coisa acaba melhorando. Pronto, sossega a periquita aí, moça, nem tudo é o fim do mundo u.u

Agora que já contei minha "belíssima história de vida", eu vou começar o post de verdade (pensa numa pessoa que enrola nas introduções...).

Você não precisa acertar o tempo todo, errar faz parte às vezes. Então não se sinta tão ofendido quando alguém apontar uma falha sua, mesmo que você ainda não a tenha notado. Fique calmo, respire e analise o que pode ter acontecido. Eu sei que às vezes parece um absurdo, e você acaba pensando algo tipo: "Ah, para, acham que eu não sou capaz de fazer algo tão simples? Só sendo um idiota pra fazer isso errado, pois eu vou mostrar pra eles...". Calma. Meça sua exaltação, parça. Aceite que você não é perfeito e que tá tudo bem cometer um erro de vez em quando, por mais bobo que ele seja. 
Você não está sendo submisso demais ou fraco por engolir gritos do seu chefe, caso a situação seja essa. Está apenas aprendendo, grande coisa. Não precisa responder nada, é só ver o que você pode fazer pra melhorar, e quando descobrir, fazer
Não precisa se repreender, se rebaixar nem se martirizar quando cometer algum deslize, em qualquer âmbito. Apenas fique calmo, pense, reflita, e resolva. 

 A vida fica muito melhor quando você consegue finalmente se acalmar e pensar de modo racional em certas ocasiões onde o culpado é você mesmo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!