Shots, Imagine Dragons

03 março 2015


Essa parte do clipe me lembra de quando eu dançava balé *--* Aaawn

Confesso que a essa altura do campeonato eu simplesmente desisti de evitar músicas tristes, a verdade é que não adianta o quanto você fuja, ninguém tá feliz o tempo todo. 
Porém, ainda não desisti de ser otimista, e vou tentar aproveitar o lado positivo de se ouvir essas músicas: compreensão. Às vezes uma simples música te entende mil vezes melhor do que qualquer pessoa que você conheça, o que é lamentável até. Podem não ser todas (tô tentando não generalizar também), mas a maioria das pessoas só entende o problema alheio se já tiver passado por algo parecido. Também tem a parte do desabafo, quando eu tô mal, prefiro mil vezes me isolar em um canto e ficar ouvindo essas músicas do que ficar desabafando pra primeira pessoa que aparecer. Provavelmente essa pessoa não dá a mínima, prefiro reservar pra quem é verdadeiro comigo. Mas às vezes eu não quero preocupar a pessoa e fazer ela abrir mão dos problemas dela por minha causa, então eu ajudo ela e me viro com a música e a escrita. 
O que não significa que eu tenha me identificado com a letra de Shots, do Imagine Dragons. Mas posso dizer que a letra me impressionou bastante: ela é profunda, é como se ele estivesse desesperado para expressar aquilo. E parece ter ligação com outras músicas deles, como Demons e Monsters, que se vocês analisarem a letra, vão ver que elas parecem contar a mesma história, porém, em partes diferentes.
O ritmo me lembrou muito as músicas dos anos 80 ou 90, tipo The Police e Men at Work.

O que eu entendi da letra? Bom, aparentemente, o compositor está arrependido por ser quem ele é: um destruidor de relacionamentos. Ele perde todo mundo que ele ama e acredita que seja quem for que o queira, é questão de sorte, não de merecimento. Acha que vai estragar tudo. Está agonizado pela culpa, precisa loucamente ser perdoado e não sabe se é pior ter perdido a pessoa ou mantido ela e ter feito ela aguentar ele. Mesmo assim ele tenta deixar isso pra lá, e jogar no passado o que ainda tá no presente, se pergunta se é muita ingenuidade da parte dele tentar fugir disso, mas pra ele é o melhor jeito. E o espaço em branco que ele menciona no começo da música, é um momento de paz, um tempo pra respirar ou algo assim (eu acho).

Não sei se sou só eu, mas quando eu vejo que o significado de uma música é assim, eu fico me perguntando quem realmente a compôs, se foi o cantor ou se é a criação de um outro alguém. Muitos compositores não querem ficar famosos, e preferem doar ou vender suas criações pra quem queira. 
E também me pergunto se ele tá bem, o que é idiota, lógico, mas acontece antes mesmo de eu reparar se a música combina comigo ou não. Vai entender?

Já tô pronta pra ganhar meu Oscar de melhor papel de trouxa, hahaha. 

Oh, eu queria que você estivesse aqui, mas também queria que você tivesse ido embora. Eu não posso te ter, mas eu só vou te fazer mal. - Imagine Dragons



Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!