As 20 Regras do Desapego

18 abril 2015


Alguém se lembra de quando eu resenhei o livro Não se Apega, Não, da Isabela Freitas? 
Pois é, recentemente eu acabei me lembrando de uma partezinha do livro que eu adoraria dividir com vocês, não é spoiler e também não dá pra chamar de plágio (até porque a própria imagem que eu usei no post já deixa claro que não fui eu quem criou as tais regras).
Apenas achei que, quem por algum motivo não tem como comprar o livro, ia gostar de ver pelo menos essa parte. Com meus comentários, óbvio, porque não resisto a dar minha opinião sobre as coisas.

1. Odiar as pessoas não leva a nada. O ódio corrói nosso coração e o deixa fraco para receber amor.
Passei anos da minha vida odiando quase todo mundo ao meu redor e só agora comecei a TENTAR não generalizar tanto.

2. Fingir que sou insensível e que não me importo não funciona. Eu me importo, sim. E choro muito também. E que se dane o que as pessoas pensam disso.
Bom, eu não me considero tão insensível, mas eu choro muito pouco, e nem preciso fazer muita força pra isso. 

3. Não adianta tentar segurar as pessoas na nossa vida. Se elas precisam ir, deixe que se vão. O que for de verdade, volta. Se você vai querer de volta, bem, isso a gente não tem como saber, né?
A mais pura verdade. Só tentei segurar alguém na minha vida uma vez, e já não perco tempo me arrependendo disso. Porém, eu jamais faria isso de novo.

4. Mudar as pessoas não é algo que esteja ao seu alcance. As pessoas só mudam quando querem mudar. E, geralmente, elas não querem.
Pois é, já achei que pudesse transformar um sapo em príncipe. Hoje em dia eu penso que se a mãe dele não conseguiu fazer dele uma pessoa decente, não sou eu quem vai conseguir essa proeza. Sei que a dica não tem a ver apenas com homens, mas a minha experiência foi essa.

5. Fugir das coisas não me livra delas. Só agenda o sofrimento pra mais tarde.
Não me lembro de quantas vezes eu já passei por isso, mas não deixa de ser verdade.

6. As pessoas são falsas, e sempre que tiverem uma oportunidade vão te apunhalar pelas costas. Pelo menos grande parte delas. É que ser verdadeiro é muito difícil.
Bom, não acho que todas sejam falsas, apesar de já ter pensado. Sei que tem exceções e não acho que todos vão me apunhalar pelas costas o tempo inteiro, porém, continuo sendo desconfiada e só acredito vendo. Justamente porque odeio aquela sensação de "fui trouxa" que vem ao descobrir uma mentira.

7. Amigo de verdade é raro e 90% daqueles que você considera "amigos" são apenas morcegos sugadores de felicidade.
Que amigo de verdade é raro eu sei há muito tempo, eu mesma só consigo confiar em uma pessoa e se ela estiver lendo, sabe muito bem que estou falando dela. Porém, não acho que o resto sejam sugadores de felicidade, justamente porque eu não deixo a falsidade alheia me incomodar tanto assim.

8. Os homens não são todos iguais. Alguns apenas ainda não amadureceram, assim como as mulheres.
Pois é, eu sei que nem todos iguais, mas como saber qual é diferente e qual sabe fingir que é? Como eu disse, sou desconfiada ao extremo e apesar de estar tentando não generalizar, só acredito vendo.

9. O amor não é brega. Brega são os que não dão uma chance ao amor.
Tá me chamando de brega? hahaha. Olha, eu penso assim: quem se diz bloqueado ao amor, não está bloqueado para o amor, está bloqueado para as pessoas. O amor é um sentimento maravilhoso, mas infelizmente, algumas pessoas conseguem estragar isso também.

10. Desistir do outro não é fracassar. É ter consciência de que algumas pessoas simplesmente não valem o seu esforço. Se não há reciprocidade não é amor. É insistência.
Fato. Aquele lema que as pessoas têm de "nunca desistir do que desejam" jamais deve se aplicar às pessoas, porque algumas realmente não prestam e só vão fazer você sofrer, vai por mim.


11. A saudade é a urgência de amar.
Será? Não sei nem o que dizer pra discordar, mas... será?

12. A maioria não está sempre certa. Às vezes a perfeição jaz na exceção.
Pois é, e gente que quer estar certa sempre (mesmo quando tá errada), só pra se aparecer, me irrita ao extremo. Então, se você faz isso, ou você fica longe de mim, ou você para.

13. Sorrisos são sempre bem vindos. Mesmo que dados por um desconhecido na rua.
Contanto que esse sorriso do desconhecido não seja malicioso, por mim tudo bem.

14. O mundo gira. Nenhuma tristeza é tão eterna que não deixe um espacinho para a felicidade.
O mundo gira, então tente não ficar tonto. Trocadilho bosta, eu sei, mas o que eu quis dizer é pra manter a cabeça no lugar e não se permitir pensar nas mesmas coisas por muito tempo, a ponto de se confundir e enlouquecer por causa disso. "O que isso tem a ver com a regra?", pra quem souber analisar, tudo.

15. Cair de cara no chão é normal. O difícil é saber se reerguer com um sorriso no rosto.
Isso aí é uma coisa que a gente aprende com o tempo.

16. Quem é inteiro não precisa procurar pela sua metade.
Ou seja: aprenda a gostar de si mesmo para nunca precisar que outra pessoa levante sua auto estima naqueles dias em que você está se sentindo horrível. Se você se sente completo, essa e outras coisas não serão necessárias.

17. Deixar o passado no passado é muito difícil. Mas precisamos disso para seguir em frente.
Se você perceber que está parecendo impossível deixar o passado no passado, tente aprender algo com o que aconteceu, ou simplesmente perdoe-se e toque o foda-se. Você não é mais a mesma pessoa, não precisa se martirizar por isso.

18. Eu não preciso ser a "única" de ninguém. Preciso ser a única de mim.
Apenas uma variável daquela lição sobre aprender a ser feliz sozinho e gostar de si mesmo.

19. É preciso acreditar nas pessoas, mesmo quando nem elas mesmas acreditam.
Como eu já disse, isso pode ser uma missão complicada considerando que eu só acredito vendo...

20. Ter a urgência de ser feliz te impede de ser realmente feliz. Deixe que a vida aconteça, porque ela acontece quando estamos distraídos demais para planejá-la.
Acho que quem é caseiro e passa bastante tempo em casa como eu, pode até ser mais feliz do que quem vai em festa todo fim de semana. Essas pessoas baladeiras (nem todas, ok?), procuram a felicidade de um jeito meio desesperado, sabe? E ainda dependem da bebida pra aproveitar a festa. Eu me contento com um livro e uma cama, quer jeito mais fácil de ficar alegre?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!