Faça seu livro valer a pena

02 abril 2015



Qual seu personagem favorito? O meu (por enquanto) é a Katniss Everdeen, de Jogos Vorazes (ou a Mulan, de Mulan, hahahaha). Uma pessoa que se voluntariou para desafiar a morte no lugar de sua irmã. Uma pessoa que não levava desaforo para casa. Uma pessoa que foi capaz de sustentar a mãe e a irmã sozinha. Uma pessoa que, apesar de ser mulher, é forte, batalhadora e esfrega na cara da sociedade que mulher não é sexo frágil porra nenhuma. Amo histórias assim, com mulheres que vão à luta para conseguir o que quiserem sozinhas, exalando feminismo.

Princesas frágeis, sendo sequestradas, gritando e chorando até serem salvas? Pff. Cena bonita mesmo é a aquela em que, no carro, ela ataca o sequestrador enquanto dirige, correndo o risco de ser acidentada, e se ele disser: "Tá louca? A gente vai morrer", ela responde: "É essa a intenção, meu querido, se eu for, você vai junto". Assim como a Katniss disse: "Se nós queimamos, você queima conosco". 

Muitos devem estar se perguntando porque, de repente, assumi o papel de fãzoca baba ovo, sendo que detesto tietagem. Amor próprio é bom e eu gosto, muito obrigada.
Apenas cheguei à conclusão de que alguns personagens podem muito bem servir de inspiração para a vida real. Mesmo se a história for totalmente ficcional e não tiver nada a ver com a vida real, por que não aproveitar alguns exemplos?
Por exemplo, ninguém nunca vai convocar sua irmã caçula para tentar sobreviver no meio de uma floresta onde todos vão querer matá-la, e  provavelmente morrer porque não é forte o suficiente pra isso. Mas é admirável ser o tipo de pessoa que praticamente se mata pra ver o sorriso das pessoas que ama. Não é burrice, mas pelo menos pra mim é difícil ficar pensando nos meus problemas se eu vejo alguém que eu gosto pior. Eu me sinto melhor quando ajudo. E se a pessoa for ingrata, é um defeito dela, não meu.
Outro exemplo é aquela cena em que ela estava mostrando suas habilidades e ninguém notava. O que ela fez? Tacou-lhes a flecha e disse: "obrigada pela sua atenção". Lição? Não seja tão submisso, você não é obrigado a engolir certas coisas.
E todas as vezes que ela aguentou dor física, emocional, sede, fome e cansaço calada? Te ensina a ser forte e lutar, independente das circunstâncias. 

Os livros oferecem tantas lições que você pode levar para a vida, que eu me surpreenderia muito se conhecesse uma pessoa que apesar de ser viciada em livros, é totalmente ignorante e idiota. Sem valores, sem princípios, sem nada. 
E se inspirar em alguns personagens não faz de você um iludido, que quer viver em um mundo de fantasia, achando que a vida vai ser perfeita sempre. Na vida real é lógico que você não vai poder arrancar a arma da mão de um assaltante, ser mais ágil e dar um tiro nele antes que ele faça isso com você. O mais provável é que, ao tentar fazer isso, ele te dê uma punhalada seguida de um tiro, e você morra por tentar bancar o corajoso fodão. Seja positivo, ok, mas não seja burro, seja realista, você não é tudo isso (pá! turn down for what! =P).

Quem nunca quis que sua vida fosse mais parecida com os livros, que atire a primeira pedra. Se você quiser, sua vida pode sim, dar um bom livro. Misturando comédia, drama, ação, talvez até terror, mas pode. Quem escreve ele é você, não dá pra ficar esperando do "destino". Faça seu destino. 
Sua saga vai ficar muito mais interessante se você for o protagonista guerreiro que vai atrás do que deseja. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!