#Playlist || Love Yourself

23 abril 2015


Ok, eu sei que todos temos nossas inseguranças e que é quase impossível ser 100% confiante. Nós só não podemos deixar isso arruinar a nossa vida, fazendo dela um inferno. Não dá pra viver aprisionada em uma rotina de lágrimas, ser o tipo de pessoa que olha no espelho e se sente tão horrível que até perde a vontade de sair de casa. Gente que considera um dia horrível porque tem olheiras profundas demais, cabelo seco, ausência de peito e pra completar, engordou. Essas coisas não precisam ser tão dolorosas assim, se isso te incomoda tanto, é melhor começar a tentar aliviar. A vida fica muito melhor e mais colorida quando a gente consegue aceitar a si mesmo.

E se engana quem pensa que eu não implico com nada em mim mesma. Eu sempre fui uma pessoa extremamente auto-crítica, hoje em dia eu só estou tentando diminuir isso um pouco, porque existem problemas maiores na vida e eu não preciso transformar cada um deles em um eterno banho de sangue.
O que me incomoda? Bom, sempre tem aquele dia em que meu cabelo recebe o espírito de um leão viciado em crack (isso que eu tenho semi-definitiva, só que às vezes parece que eu nem fiz nada), e por causa de alguns probleminhas de sono, minhas olheiras tendem a ficar enormes de vez em quando. Eu não gosto do meu cabelo preso, prefiro ele solto, e não gosto do tamanho das minhas orelhas, que são um pouco grandes. 

Coisas que eu já venci: 

♥ Eu já não deixo esses meus probleminhas me derrubarem tanto, e mesmo quando eu olho no espelho e não gosto do que vejo, isso não estraga o meu dia. O máximo que eu faço é dar uma resmungada, porém, tacar o foda-se e sair andando. 

♥ Eu já impliquei muito com o fato de eu ser magra demais, não ter peito nem bunda, ser completamente reta, parecendo uma tábua. Mesmo quando eu me dizia satisfeita, eu continuava paquerando a balança e comemorando quando via que passava dos 60 kg, o que não é necessário, já que minha saúde está ok. Hoje em dia eu tô cagando se sou magra demais ou não, pra mim tá ótimo.

♥ Meu pé é grande, chato e eu calço 41, pronto falei. Eu quase morria de vergonha de ir nas lojas e perguntar se tinha calçado nesse número, porque além de eu já saber que provavelmente não ia ter, eu achava estranho. Mas não é, lógico que é diferente e eu sei disso, mas e daí? Eu não pedi pra nascer assim. Hoje em dia eu tô me importando bem menos com isso, o mais difícil é achar calçado mesmo, e se a vendedora arquear só um pouquinho a sobrancelha quando eu contar meu número, isso não significa que eu seja estranha. Ela só é imbecil, mesmo. =)

♥ Nariz pontudo demais, cílios muito ralos (e uma aparente ausência de cílios inferiores), voz muito escrota... por que eu deveria me importar com isso, mesmo? Considerando que nada disso vai me impedir de terminar a faculdade e conseguir um bom emprego, por exemplo?

Eu recomendo que todo mundo tente "banir" suas implicâncias, ou pelo menos aliviar para isso não fazer com que sua vida fique parecendo aquelas novelas dramáticas da Globo. E pra servir como um empurrãozinho, aqui vai uma playlist pra vocês:

Se em algum momento você se sentir como se você fosse um nada, você é perfeito pra caralho pra mim. - Pink


Obs: Não, eu não gosto de One Direction, porém, coloquei a música deles porque fala sobre auto estima.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!