Traição tem Perdão?

11 abril 2015


Não. Definitivamente não. 
Mas antes de mais nada, enxerguemos o seguinte fato: uma traição não é definida apenas por um ou mais chifres na cabeça. Quando falamos em traição, a maioria já imagina a cena clichê: o casamento ou o namoro sendo destruído com a presença de um(a) amante e um flagra. E sempre com a famosa frase: "Calma, não é o que você tá pensando", seguida de "Eu posso explicar".

A traição é o rompimento da verdade e da confiança. É quando alguém faz você confiar nele, e depois esfrega na sua cara (de um jeito ou de outro) que isso foi um erro.
Ela não é limitada apenas a relacionamentos amorosos.

Se sua melhor amiga conta um segredo seu contra a sua vontade, e não é pra ajudar em algo, isso é traição. Se ela fala mal de você pelas costas (vulgo te destrói) sem que você saiba, isso é traição. Se ela ouve alguém falar mal de você, e em vez de te defender, colabora contando mais "causos", e isso não for na intenção de enganar o fofoqueiro fingindo estar do lado dele, é traição. Se essa "amiga" te vê prestes a conquistar algo importante e dá um jeito de puxar seu tapete, pegando tudo para ela, é traição. Ponto.
Quantas vezes na vida você já foi traída, ou traído? O quanto essas traições te afetaram? Quanto elas tornaram a sua visão do mundo e das pessoas mais negra? 
Por quanto tempo sua mente ficou ensandecida por causa disso? Quanto tempo da sua vida você perdeu pensando nisso? Quantos planos foram adiados, quantos sorrisos foram bloqueados ou falsificados?
Vários, inúmeros, incontáveis, não é? Não torne isso infinito, pelo seu próprio bem. Mas não se sinta na obrigação de bancar o bom samaritano e perdoar porque "ninguém é perfeito". Você não precisa ficar pensando mais no outro do que em você, não precisa levar em conta que a história dele foi mais catastrófica do que a sua. Você não foi o culpado dos problemas dele, mas ele foi o culpado dos seus, sejam piores ou não. E mesmo se as intenções não tiverem sido ruins, reflita: Você está aí pensando se ele vai ficar bem ou mal, mas quando ele te traiu, ele pensou em você? 
Não, ele só pensou no benefício dele. Ou dela, se for uma garota. 


Tudo bem que as decepções te ensinam a viver, que elas são a razão do seu amadurecimento constante. Mas nem por isso você precisa andar todos os dias com a pessoa que criou uma cicatriz dentro de você (correndo o risco de ganhar outra!), uma cicatriz que você teve que lutar arduamente para amenizar. Que pode ainda estar lutando para isso, enquanto a pessoa está ali, feliz da vida porque fez merda mas no final deu tudo certo. Nada a perder, não é? 
Não.
Se você esfriou tanto a ponto de não conseguir nem chamá-la de "colega", diga isso. Não esconda, ela foi falsa com você? Bem, você não precisa ser como ela, seja verdadeiro consigo mesmo primeiramente, e então deixe claro que a história de vocês termina por ali mesmo.

Já li por aí que a confiança é como uma borracha: fica menor a cada erro cometido. E é verdade, quanto mais uma pessoa tiver errado com você, mais dificuldade você terá em confiar nela. Quanto mais afetado você sentir, maior será a sua vontade de se esquivar diante de um pedido de desculpas.

Dizer que o ser humano comete erros não é desculpas para trair alguém friamente, pense nisso. Alguma hora a cota de desculpas irá terminar e você irá ficar sozinho, irmão(ã).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!