#Clipe | Bad Blood, Taylor Swift ft. Kendrick Lamar

30 maio 2015


Como muitos já sabem, mais ou menos no meio do mês, Taylor Swift lançou o clipe de bad blood. 
O que mais me chamou atenção no clipe não foi apenas o ritmo legal, o epílogo que não sei se classifico como bobo e clichê ou foda e empolgante, nem mesmo as participações especiais (incluindo até mesmo a Cara Delevigne ♥).
E sim, a fofoca. Coisa que geralmente não me interessa, mas dessa vez era tanta que não teve como não comentar. Supostamente o clipe é mais uma indireta, e dessa vez é para uma inimiga misteriosa da Tay. Até agora a diva não citou nomes, disse apenas que a vaca era uma amiga de longa data que contratou alguns de seus dançarinos e tentou sabotar sua turnê.

Pelo que parece, essa inimiga misteriosa é a Katy Perry, pois em vez da anta se manter calada, ela postou indiretinhas como "cuidado com a Regina George em sua roupa de cordeiro", e supostamente disse que se houvesse alguma indireta pra ela nesse clipe, ela revidaria com uma música, clipe ou sei lá o que.
E recentemente, ela disse que estava assistindo este clipe com algumas amigas e dançarinos, porém, deletou o tweet em seguida. 
Não irei jogar nada como fato, pois apesar desse tweet deletado ter me convencido de que realmente é a Katy Perry (a notícia mostrou o print), eu não me lembro das fontes de cada notícia e também não sou fã de comentar essas tretinhas idiotas. 
Digo idiotas porque acho ridículo a maneira como cantores como a Taylor usam a música para provocar os outros. Já vi tanta notícia dizendo que as músicas dela eram indireta pra tal ídolo, que me parece que todas as músicas que ela cria são indireta pra alguém. Se ela se apaixona, faz música romântica. Quando termina, faz música dizendo o quanto ele partiu o coração dela. Se uma amiguinha incomoda ela, faz música pra xingar a desgraçada... eu sei que todo artista faz música baseado em experiências pessoais, porém, acho que a Taylor Swift extrapola demais nesse quesito. Ela expõe todos os relacionamentos dela sem dó nem piedade.

Que fique claro que essa é a minha opinião pessoal em relação a esse tipo de atitude, mas se for para falar apenas das músicas dela sem levar em conta os bastidores, eu acho que a Taylor é uma ótima cantora e que eu prefiro muito mais esse estilo novo dela, com um ritmo menos meloso (tô numa fase que recusa musiquinhas de amor, sem ofensas).


Bom, como até agora eu mais critiquei do que elogiei, vou falar o que achei do clipe em si: posso não ter ficado obcecada pela música nem nada, mas achei foda mesmo assim. Fui induzida a assistir por causa das notícias em relação a ele, mas não me arrependi. 
Adorei o tema futurista, as cenas de ação e as participações especiais. A batida é dançante e legal, e só tenho elogios para o toque de rap que vem antes da ponte (pra quem não sabe, a ponte de uma música é o que liga a primeira parte ou segunda parte ao refrão).
Espero não ter ofendido nenhum "Taylor Lover" com as coisas que eu disse em relação às indiretas, pois não tenho nada contra a Taylor em si e também não acho legal fazer post apenas pra criticar o trabalho alheio (se o problema está na música, basta não ouvir).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!