#642Coisas | Um Vício que faz Bem

01 julho 2015


276. Por que você escreve?
Por um vício. Por um desabafo. Por uma simples conversa banal. Por prazer, por inspiração, ou pra fazer o tempo passar mais rápido.
Por um lampejo repentino de ideias. 
Para esquecer ele, para esquecer ela, para esquecer tudo.
Ou para lembrar por uns minutos e colocar tudo para fora.
Por diversão, para fofocar, falar mal de Deus e o mundo como quem fala com seu melhor amigo. E sabe que ele não vai contar nada a ninguém. Ele sempre vai te entender, te ouvir bem e não irá falar nada, porque ele não tem voz. Mas não precisa: deixar que você se expresse já é o melhor ato de apoio que se pode fazer.

Escrever acalma, aos poucos você estará bem o suficiente para pensar com clareza, e tomar decisões mais sabiamente. Escrever ensina, educa, te faz crescer consigo mesmo. 

Não sei se passei a escrever por causa das aulas de redação, ou se foi porque amava ler e queria lançar um livro também, só sei que quando comecei não parei mais: cinco páginas por dia, quase todos os dias, duas horas escrevendo direto. 
Há quem ache difícil escrever tanto assim, pois pra mim a dificuldade está em não escrever, não me expressar, não desabafar, não colocar minhas ideias no papel e não sustentar o vício que passei a ter há tantos anos (mais de oito, bem mais).
Como já disse em um breve poema: "A escrita é a essência da alma, suas palavras podem exalar alegria ou tristeza, perdão ou rancor, ódio ou amor, dependendo de quais sentimentos você jorrar no papel." Okay, foi mais ou menos assim. A cada vez que eu o recito, uso palavras diferentes, mas o sentido ainda é o mesmo: diga-me sobre o que escreves, e te direi quem és. A escrita é reveladora, porém necessária.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!