Vejo poesia em Tudo

15 outubro 2015


Qualquer pessoa com quem se converse todo dia pode virar uma crônica. Sua personalidade poderá estar na praia, no campo, ou na cidade. Em um dia ensolarado ou chuvoso, com uma brisa de leve ou até com uma tempestade.
Qualquer sentimento que se tenha no dia a dia pode virar um texto. Uma bela combinação de palavras ajuda no visual, uma bagunçadinha de leve e voilà!
As copas das árvores quando chega o pôr-do-sol viram uma boa foto. Um jardim florescido vira uma boa foto. A fachada de uma biblioteca num dia chuvoso vira uma boa foto.

Uma frase pode virar um parágrafo, que pode virar um texto, que pode virar um livro (quem sabe?).

Você analisa sua vida, revira todos os momentos, relembra de tudo quanto é coisa e percebe que não há nada que não possa virar um livro perfeito. Alguns clichês meio quebrados, alguns dramas e cenas engraçadas... tudo organizado em uma história original e diferente, considerando que ela existe.
Sabe-se que ela pode estar separada em vários textos e crônicas diferentes, mas nenhum que tenha sido desvendado o suficiente para que as pessoas saibam o que existe nas entre-linhas. Ou qual era a expressão no seu rosto quando você escreveu. Ou o que se passava na sua mente.
Coisas ruins parecem virar bons textos. Coisas boas parecem enganações, e se não forem, parecem ter um prazo de validade para que passem da verdade para a mentira. Elas simplesmente se estragam ou se esvaem.

Então você começa a criar roteiros para tudo: conversas, acontecimentos, planejamentos... tudo isso seria bem melhor se estivesse de acordo com o livro que você quer para a sua vida.
Não significa que você não seja realista, você sabe diferenciar muito bem o que pode acontecer do que não pode acontecer de jeito nenhum. Só que, na maioria das vezes, você prefere o que não pode. E se pega imaginando várias versões para a mesma história. Já não sabe qual versão prefere, mas sabe que nenhuma delas acontecerá realmente.
Nada disso lhe causa uma grande frustração, e não se sabe se você fica minimamente chateado com isso. Mas ninguém pode te proibir de imaginar o que não existe.
E sim, você pode ser o tipo de pessoa viciada em criar roteiros e imaginar várias versões para a mesma história e mesmo assim, detestar expectativas: é chato ter a dura realidade jogada na sua cara feito um tijolo, é por isso que você prefere não botar fé em nenhuma das suas criações tolas e infantis.

Milhares de frases e poemas definem o seu passado, presente e futuro. Eles mostram pessoas diferentes: umas mais vaidosas, outras mais relaxadas. Umas mais tímidas, outras mais extrovertidas. Umas mais sérias, outras mais engraçadas. Mas não se engane: são todos sobre a mesma pessoa.
Arquive tudo, guarde todos em uma caixinha e terá um mundaréu de personalidades diferentes.
Várias versões de você.

4 comentários:

  1. Que texto mais lindo. Parabéns!! Bjs

    http://mysecretworldbells.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Simples e motivador *-* Amei <3
    Beijoo

    primaveraagridoce.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se é motivador eu não sei, mas que bom que gostou ^ ^

      Excluir

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!