(Dez)romantize

19 novembro 2015



Palavras são apenas palavras. Não significam nada, não sentem nada, não amam ninguém. 
Flores são apenas flores. Também não significam nada, não sentem nada e não amam ninguém.
O amor vai muito além de três palavrinhas cuspidas e alguns buquês de rosas (ou quem sabe jasmins? elas são cheirosas também, com o bônus de que não são tão clichês).
O amor é um plural de atitudes e sentimentos: é respeitar, confiar, cuidar. Quando você ama, você se preocupa com o outro. Você não cobra mais do que ele pode te oferecer, pois se preocupa com a felicidade dele. Quando você ama, você apoia, defende. 
Tem ciúmes? Tem, claro que tem. Ele faz parte do medo de perder, mas não deve ultrapassar os limites da confiança, inventando histórias onde não tem nada e desacreditando de quaisquer explicações.

Não é necessário dizer "eu te amo" o tempo todo para provar que é verdade. Palavras são apenas palavras. Não significam nada, não sentem nada, não amam ninguém.
Você pode dizer "eu te amo" setenta e cinco vezes por dia e não sentir nada em nenhuma delas, assim como pode ter um amor recíproco sem falar nada. Não é necessário estragar essas três palavras, transformando-as em um "bom dia" vazio e sem emoção.
Mas existe a possibilidade de abrir mão do orgulho e correr atrás de vez em quando, conversar, puxar assunto, manter contato. Não deixar que a distância e o tempo sejam obstáculos tão grandes assim.

Não é necessário recitar poemas e trechos de música o tempo todo, nem acordar a pessoa de madrugada só pra dizer "eu te amo", 

Até porque, se amar dependesse tanto de palavras, como os mudos amariam? 

4 comentários:

  1. Até porque, se amar dependesse tanto de palavras, como os mudos amariam? Amei essa frase <3 <3 Texto lindo haha
    Beijos

    https://mysecretworldbells.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Tinha esquecido o quanto eu amava seu blog <3 <3

    ResponderExcluir

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!