Estamos todos de Passagem

17 novembro 2015




Pessoas são passageiras. Pode ser que demore um pouco para aceitar este pequeno grande fato, mas é verdade.
Elas vem e vão o tempo todo. Algumas ficam por mais tempo que outras, umas marcam mais e outras, menos.
Umas machucam, outras não. Algumas feridas são mais profundas que outras.

Talvez em algum momento, você queira tentar impedir que novas pessoas entrem em sua vida, a fim de evitar novas feridas (supostamente piores do que as que você já teve).
Bem, não estou dizendo que vai funcionar, mas faça o que você achar melhor: não há nada na vida que você faça sem ter uma lição para aprender sobre. Quanto maior a falha ou a dor, melhor a lição.
Um dia você vai perceber que é impossível evitar os relacionamentos. Eles estão sempre perambulando por aí, dispostos a lhe oferecer um verdadeiro manual de instruções para a vida.
Nem sempre você o aceita, e nem sempre você o entende, mas ele está sempre disponível.

É foda se decepcionar, eu sei. Pior ainda é quando você percebe que esteve enganando a si mesmo, a ponto de passar um bom tempo sem perceber que o mentiroso era você mesmo (é necessário uma boa dose de amor próprio para evitar a auto-ilusão).
Mas as pessoas não são todas iguais, e principalmente, as histórias não são todas iguais. É como diz o ditado: "um raio não cai duas vezes no mesmo lugar".
Deixe que as pessoas deem importância a você, e permita-se retribuir o carinho.
Não há nada de errado em admitir a beleza dos relacionamentos. 
Ser independente nem sempre significa viver sozinho a todo custo, simplesmente porque você se sente mais seguro assim. Independência é quando você se abre a novos relacionamentos sem medo de quão trágico será o final deles. É quando você se dispõe a amar de todas as formas, sabendo que ninguém depende exclusivamente de ninguém: pessoas são passageiras.
Elas vem e vão o tempo todo. Algumas ficam por mais tempo que outras, umas marcam mais, e outras, menos.
Umas machucam, outras não. Algumas feridas são mais profundas que outras.
Mas todas têm algo de bom a ensinar-te sobre a vida.

2 comentários:

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!