5 Séries pra Amar no Netflix

09 fevereiro 2016


Aeeeow, carnaval tá aí, minha gente! Prepararam a pipoca, o pijama e o refri?
Não sei vocês, mas eu não dou a mínima pro carnaval. Esse post está programado e eu provavelmente vou trabalhar hoje, após ter passado domingo e segunda de folga, no meu carnavalzinho antecipado.
E sim, passei o fim de semana todinho na Netflix u.u Porque é assim que eu passo a maioria das folgas e feriados (inclusive, foi assim que virei o ano).
Tá indeciso pra saber com quais personagens você vai pular carnaval? 
Bora ver a lista, então!

Quando comecei a ver essa série, só tinham os 9 episódios da 1ª temporada. A princípio eu achei a série meio boba e fútil, como se usar drogas fosse algo normal do cotidiano adolescente e depressão, problemas alimentares, etc, fossem coisas lindas de se viver. Comecei a gostar a partir do nono episódio e esperei séculos até sair o resto. Descobri que a série na verdade é ótima, na verdade. Ela aborda feminismo, homofobia, racismo, homossexualidade, além de apontar problemas sérios que alguns adolescentes acabam passando, como gravidez na adolescência, depressão, psicose (acho que era isso que a Effie passou a ter, né?), distúrbios alimentares, separação dos pais, abandono dos pais, a perda da virgindade com alguém que não a respeita, etc. 

Uma das minhas séries favoritas ♥ Apesar de mostrar um pouco de machismo e aversão ao feminismo, eu me encantei pra caralho com o jeito do Ted sempre correr atrás da Robin e querer ver ela feliz (mesmo quando ela tava com outro). Eu torci pra eles a série toda porque me identifiquei com a Robin: no começo ela tinha uma certa dificuldade pra se soltar nos relacionamentos, mas aos poucos foi resolvendo, não gostava de sofrer em público, casava com a independência, gostava de ser competente no trabalho e era jornalista! Justo a faculdade que eu quero fazer <3 nbsp="" p="">
Porém, o casal que eu mais gostei mesmo foi o Marshall e a Lilly, porque eles sempre resolviam as crises deles, e além de namorados, eram melhores amigos. É o melhor tipo de relacionamento EVER.

Santo Cristo, que série bem FODA! =OOOO Até hoje eu danço na cadeira com essa abertura lacradora! *--* Pra quem não sabe, é uma série original do Netflix sobre a Piper, uma loira da classe média que foi presa anos depois de ter cometido um crime, simplesmente porque alguém da  quadrilha dela que continuou fazendo merda e ela não, a entregou.
A série é muito boa, gente, é divertida, realista, além de mostrar os problemas existentes na prisão (como dificuldade de reabilitação e abuso de autoridade), eles apontam questões polêmicas como a homossexualidade, a transsexualidade, o tráfico de drogas dentro das prisões, etc. Ah, e eu já falei dessa série aqui no blog, quem quiser ver é só clicar aqui! A nova temporada sai em junho desse ano.

A série é baseada na saga literária Os Instrumentos Mortais, que infelizmente eu ainda não li. Até agora não havia me chamado atenção nem despertado curiosidade, mas assistir essa série me deu uma puta vontade de comprar um box inteiro só pra ter todos os livros na minha mão. ♥ Toda semana tem um episódio pra ver, e ai do filho da puta que me der spoiler porque já leu os livros, hein? RUUM! u.u

Amei essa série. Ela tem um tema juvenil, divertido, leve, mesmo abordando assuntos um pouco mais sérios. O legal é que eles apresentam temas como feminismo, bullyng virtual, assédio sexual, sexo sem consentimento, etc, de uma forma educativa, de modo que quem costuma fechar os ouvidos pra esses assuntos deveria assistir para aprender um pouco mais sobre tudo isso. Se você assistir e continuar chamando as feministas de feminazis é porque você é idiota e ignorante mesmo, tem que ter muito prazer em falar merda pra ver uma série dessas e continuar com o mesmo pensamento arcaico e pejorativo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!