Não Subestime: Bruna Vieira

30 abril 2016


Sabe você que sempre critica os livros escritos por blogueiros e youtubers pelo simples fato de que são criados por blogueiros e youtubers?
Eu te entendo. Digamos que quando eu leio qualquer um desses livros eu sinto como se eu tivesse perdendo o pouco QI que eu ainda tenho. 
Porém, a curiosidade mata, né? Se você acompanha os vídeos de uma pessoa todos os dias (Oi oi, Kéfera!), como você pode não ficar curioso para saber mais sobre essa pessoa? Ok, algumas pessoas simplesmente não têm essa curiosidade, mas vocês estão lendo o texto de uma pessoa que, quando tá passando em algum lugar e escuta duas pessoas falando de alguém, fica se segurando pra não perguntar de quem é. Mesmo se forem dois desconhecidos.
Se desconhecidos já atiçam minha curiosidade, imagina conhecidos?

Fora o fato de que eu sou fã de certas pessoas, tem um motivo extra que me faz criticá-los menos: eu também sou blogueira, e no fundo, eu sempre quis escrever um livro. E imagino como seria se as pessoas se recusassem a ler um livro meu, só porque eu sou nova e tenho um blog.

Sim, eu sei que muitos desses livros são irrelevantes. Eles são cheios de figuras, as páginas são mais enfeitadas do que caderno de patricinha na quinta série, e eles só falam das garotas que pegaram, de como era a vida social na escola, de como eles colavam fodasticamente nas provas, enfim, nada de muito filosófico. E mesmo assim a gente fica com vontade de saber como era a vida deles antes de ficarem famosos.
Sem ofensas, mas se um dia eu escrever um livro, gostaria que fosse algo mais sério. Eu quero sentir como se estivesse mesmo contando uma história interessante, e não como se estivesse escrevendo o roteiro de um vídeo. Claro que o estilo deles é diferente, que a ideia dos livros não é ser leitura obrigatória da UFRGS mas sim, algo mais casual, informal e engraçado, estou apenas dizendo que se eu escrevesse, imploraria pra editora para que as páginas não tivessem enfeite, ilustrações nem nada, e que a história pudesse ser feita do meu jeito. 

O diferencial dos livros que a Bruna Vieira já escreveu e contribuiu, é que ela possui uma linguagem mais poética. Provavelmente para combinar com o estilo do conteúdo que ela produz para a internet, eu sei.
Afinal, a gente não espera que o Felipe Neto lance um livro de poesias, sendo que no Não Faz Sentido ele falava 10 palavrões por minuto. Assim como não dá pra esperar que uma blogueira que postava várias crônicas e textos fofinhos, introduza um livro com as palavras "E AÍÍÍ, SEUS BANDO DE MAU COMIDO???". 

Mas é legal ver um livro de "blogueiros e youtubers" que não se restrinja apenas a desenhos, gírias, palavrões, e como foi o fora que ela levou em 2008. Isso é bom para "quebrar" um pouco a reputação que eles têm de não oferecerem muita cultura, afinal, livros servem para melhorar nosso senso crítico, nossa ortografia e aprimorar nossa imaginação, não é mesmo?
Quando eu tava lendo os livros "Depois dos Quinze, Onde tudo Começou" e "A Menina que Colecionava Borboletas", eu tive que parar a leitura várias vezes para produzir posts, porque eu tive uma ideia encima da outra. Os livros dela me inspiraram bastante, porque além de os textos serem maravilhosos, eu me identifiquei um pouco com o jeito de escrever,
Como todo escritor faz, muitos dos textos carregam um pouco de si na criação, mas mesmo assim é deixado um espaço para que a gente imagine qual é o limite entre a ficção e a realidade. "Será que esse texto é sobre algo que aconteceu com ela ou é só uma fantasia?". "Será que esse texto é da época que ela namorou o fulano?". "Será que isso é sobre o que ela falou no vídeo tal?".

Nos livros "De volta aos Quinze" e "De Volta aos Sonhos", foi impossível não pensar se havia alguma semelhança com a vida dela. Ok, lógico que em partes sim, já que ela é blogueira e a história fala sobre uma mulher de 30 anos que achou um blog que escrevia na adolescência e acabou voltando no tempo, para quando tinha 15 anos.
Mas sim, eu me peguei imaginando se ela tinha muitas brigas com a mãe na adolescência, se ela já se apaixonou por um amigo ou se algum amigo dela já gostou dela e ela só descobriu quando já era tarde... 
O livro é ótimo, apesar de ser parecido demais com Efeito Borboleta, o que mostra uma leve falta de originalidade, mas fala sério, quem nunca sonhou em voltar no tempo, não é mesmo?
Ao contrário da Anita, eu não sinto vontade de mudar nada no meu passado porque apesar de não amar minha vida agora, eu sei que algumas pessoas não estariam nela se eu tivesse feito escolhas diferentes.
Mas por nostalgia, seria legal ter a chance de apenas reviver alguns momentos (sem mudar nada, please). Eu adoraria voltar pra qualquer dia em que eu estivesse brincando com meus primos, ou pra quando eu acordava de madrugada e arrastava as cobertas para a sala pra assistir Caillou. 
Por mais clichê que seja escrever histórias sobre isso, quem nunca quis um clichê na vida?





6 comentários:

  1. Tem muitos youtubers que escrevem livros ruins ou meio desnecessários. Mas amo os livros da Bruna porque são romances, porque ela escreve bem e porque eles são bons de ler. Tenho os dois livros da série Meu Primeiro Blog e amo muito! Bruna escreve bem e é uma fofa! :)
    bjs
    blogtrashrock.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, eu só não sei pq ela não deu continuidade à história =(

      Excluir
  2. Gostei muito do que vc disse sobre o livro,uma pena mesmo ela n ter dado continuidade..Amei como vc escreve <3

    ResponderExcluir
  3. Oi Amanda, eu realmente não costumo ler livros escritos por blogueiros ou artistas não ligados às letras, sobretudo se são jovens demais. Não gosto do estilo "Felipe Neto" e, pra dizer a verdade, não acompanho os produtores de Youtube.
    Gosto do jeito "blogueiro" de escrita, mas para ler na web! Não seria nada legal um livro igualzinho à um "blog impresso".
    Entretanto aqui há uma diferença, Amanda. Existem blogueiros que
    escrevem livros e escritores que escrevem blogs, e você com certeza se encaixa na segunda categoria.
    Você não é "blogueira", na verdade é uma escritora que utiliza o blog como plataforma. Seus textos são impressionantemente completos, tal qual se num livro estivessem.
    Se você escrever um livro vou ler com certeza! Seu livro não será nada diferente de seu blog, pois seu blog já é como um livro daqueles clássicos.
    Há algumas coisas na sua escrita que não gosto, mas em geral seus textos são muito, muito superiores do que geralmente encontramos nos blogs por aí.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gente, quem é??? hahaha, brigada, que bom que gosta do que eu escrevo =D

      Excluir

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!