Temos nosso Próprio Tempo, já dizia Renato Russo

12 abril 2016


Sempre fui louca por pontualidade. Odeio me atrasar e odeio quem chega atrasado (não me deixe esperando, porra!).
Sou do tipo que chega cedo nos lugares só pra garantir, e se for um lugar que eu deteste, tenho é prazer de esperar. Só pra ter o prazer de estar no campo de concentração sem ainda ter que ser torturada.
Eu marco com você às 14h e pego o ônibus rápido por pura ansiedade. Chego lá meia hora antes e fico mexendo no celular pra não sentir a demora, quando eu vejo que são 14h, eu paro e só então começo a esperar. Finjo que cheguei nessa hora mesmo, se a pessoa se atrasar, eu vou ter esperado justamente o tempo que você levou pra aparecer ali desde o horário marcado.
Se for muito, eu vou ficar mexendo as pernas se tiver sentada, e andando de um lado para o outro se tiver de pé. Só pra poder reclamar da sua demora quando você chegar, afinal, quem se atrasa tem que ouvir, né?
Quando se trata de coisas concretas eu sou assim. Me recuso a atrasar pra aula, pro trabalho, pro curso, pra faculdade ou seja lá o que for.

Mas quando se trata de algo abstrato é diferente. 
Eu demoro um século para chegar na mesma fase em que as pessoas da minha idade estão.
Primeiro beijo? Demorou.
Primeira transa? Demorou mais ainda.
Primeiro namorado? Demorou pra caralho.
Relacionamento que dura pelo menos seis meses? Ainda não veio.
Ex namorados? Tenho poucos.
Amizade verdadeira? Demorou.
Faculdade? Ainda não entrei, mas tenho planos e fico feliz em ter me decidido e de ter planos, considerando o monte de vagabundo que não quer nada com nada.
Até minha menstruação veio depois (bem depois) do que as das minhas coleguinhas de escola.

Nessas coisas da vida eu sou aquele funcionário que deveria chegar às sete mas chega cinco horas depois e ainda tem a cara de pau de dar bom dia pro chefe, com um sorrisão no rosto (claro né, acordando às onze fica fácil ter bom humor!).

Mas sabe o que tem de errado nisso?
Nada.
Pra quê a pressa, afinal? As melhores receitas são as que mais demoram para ficarem prontas, e muitas vezes, preparar ela é tão divertido quanto comer.
O problema das pessoas é querer que tudo seja instantâneo, a ponto de sentirem até vergonha de algumas lentidões.
Você se incomoda por ter vinte e seis anos e ainda não ter conquistado suas metas? 
Bem, o ator de chaves demorou até os quarenta anos para conseguir o que conquistou. 
Acha que ele se importou com aquela espera quando já tinha chegado lá?
Depois que já conquistamos, o tempo que isso demorou para acontecer se torna irrelevante.

Talvez você ache que nunca vai conseguir o que quer, de tanto que as coisas demoram para dar certo.
Mas você vai, sim, algumas coisas não dependem apenas de você.
Por enquanto, faça o que eu faço quando chego cedo demais a algum compromisso: mexa no celular. Distraia-se. Não deixe que a espera seja uma tortura e faça dela algo divertido.

Um comentário:

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!