Onde começa o estupro?

28 maio 2016


O estupro não começa pelo sequestro, não começa pelo primeiro encontro com um homem que um dia, vai tratá-la mal. Não começa na balada.

Ele começa dentro da casa de cada um. Começa quando os pais de uma garota dizem que é indecente usar shorts na rua. Começa quando eles dizem que não dá para ela sair tarde na rua sozinha. Começa quando eles ensinam-a a agir como uma dama, assim, os garotos não terão assunto sobre ela.
Começa quando os pais ensinam as garotas a se protegerem, mas não ensinam os garotos a respeitá-las.
Começa quando ninguém ensina os garotos que o corpo de uma mulher, é só dela.
Começa quando ninguém ensina os garotos que não significa não.

Começa quando as garotas entram na escola e as regras de vestuário obrigam-nas a usar calças e saias com comprimento até o joelho, porque os garotos ainda estão em fase de auto conhecimento, e elas poderiam atiçá-los. Porque se algo acontecer, a culpa é delas. Elas sabiam o que estavam fazendo, mas eles não. Eram apenas garotos que estavam em fase de crescimento, com hormônios fora de controle.

Começa quando ninguém diz para esses garotos "em fase de auto conhecimento" que existe uma palavra chamada "auto controle". Que existem outras palavras maravilhosas, chamadas respeito, empatia, educação, compreensão, carinho.
Começa quando um garoto é ensinado a não chorar, mas não é ensinado a nunca fazer uma garota chorar.

Começa quando o risco não está no garoto que a assedia, e sim, na garota que o "atiçou". No short que ela escolheu. Na maquiagem que ela colocou.
Começa quando dizem que batom vermelho é coisa de puta.
Começa quando dizem que ela é muito corajosa por usar essa roupa a essa hora.
Começa quando seu pai a pergunta com desdém: "Você vai sair com essa roupa?".

Até ele começar. 
Até ela ir na balada e alguém batizar a sua bebida e levá-la para casa (mas não a sua casa).
Até ela precisar ir pra casa tarde, seja por hora extra no trabalho ou o motivo que for, e em uma rua escura, deserta, perceber que está sendo seguida e que não há como se defender.
Até ela conhecer alguém e apesar de se sentir desconfortável com a transa, acabar transando mesmo assim porque ele "acha que ela não gosta dele". 
Até ele filmar a transa sem o seu conhecimento e consentimento.
Até ela querer terminar e ele usar as gravações como ameaça, obrigando-a a fazer o que ele quiser.

Até ser tarde demais.
Até o último grito.
Até a família se desesperar.
E apesar de todo o ocorrido, ainda ter quem diga que ela merecia ter sido estuprada até  morte.

Nada justifica um crime.
#EstuproNuncaMais

2 comentários:

  1. Simplesmente amei o texto! Concordo com cada palavra escrita.
    www.lagrimasdediamante.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, acho que se as pessoas refletissem mais sobre o assunto, muitos casos como esse não aconteceriam.

      Excluir

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!