8 Filmes para a Madruga

30 julho 2016


Há alguns dias atrás, eu resolvi que precisava assistir alguns romances. E como eu tive insônia por dois dias seguidos (eu só conseguia dormir depois das 5h e acordava no final da tarde), resolvi que no terceiro dia eu passaria a noite toda em claro vendo filmes, para na próxima noite eu estar exausta e dormir na hora certa. Funcionou, e quando me dei conta, eu tinha assistido oito filmes em três dias.
Então, resolvi vir aqui indicar o que eu assisti:

1. Copenhagen: Como já diz o resumo da Netflix, "Quando a garota dos seus sonhos tem metade da sua idade, é hora de amadurecer". Não, ele não fala de um homem de 26 anos apaixonado por uma garota de 17. Isso bem normal hoje em dia e não representaria bem uma crítica aos que preferem garotas mais novas, ou às garotas que gostam de sair com homens mais velhos. É muito mais polêmico que seria isso: um homem de aparentes 40 anos, apaixonado por uma garota que ele descobre ter 14 anos. O filme não fala apenas disso, porém, se quiser entender o adultinho que não tava sabendo ser adultinho, terá que assistir.

2. O Maravilhoso Agora: Ele era um babaca que não queria nada da vida a não ser curtir. Ela era uma garota meiga e inteligente que nunca havia namorado. É o tipo de junção que, na vida real, dá pra saber que ele vai fazer a guria de trouxa e terminar em uma balada, enquanto ela termina chorando de pijama, comendo chocolate e vendo filmes melodramáticos. Porém, os filmes não são como a vida real, então... assista ;)

3. The Fundamentals of Caring: Um escritor praticamente falido decide entrar na vida de cuidador e acaba na casa de um adolescente sarcástico, debochado e egocêntrico com uma doença rara que só o permitiria viver até no máximo os 30 anos. O enredo lembra um pouco "Como eu Era Antes de Você", por ser um cuidador de uma pessoa que a princípio era levemente arrogante, mas o resto obviamente não tem nada a ver. Ah: e tem a Selena Gomez no elenco pra quem tiver com saudadew de vê-la atuando.

4. Questão de Tempo: Quando o pai de Tim revela ao filho que os homens da família têm o poder de viajar no tempo, a vida do garoto muda para sempre. Com um estilo Efeito Borboleta, o filme encantou milhares de pessoas, inclusive a mim. Nota: A irmã dele só podia ser drogada, porque não é possível uma pessoa ser tão doida sem estar sob efeito de nenhuma substância, haha. Definitivamente não era só álcool.

5. Meia Noite em Paris: Foi o primeiro que eu assisti antes de todos os outros da lista (que não está em ordem), e também um dos melhores que eu já vi na minha vida. Em 2010, eu o vi nas indicações de cinema da Capricho (sim, eu era dessas), e pensei que fosse apenas um romance como outro qualquer. Não que isso fosse uma crítica, afinal, esse post está cheio de romances quaisquer, mas o filme é muito mais que isso. É sobre um escritor que viaja com a chata rabugenta da sua esposa para Paris e, inspirado com a cidade-luz, pensa que adoraria viver nos anos 20, época de seus ídolos literários (os quais a vaca menospreza e por isso eu odiei ela). Em uma certa noite, ele viaja no tempo sem querer para a "época dourada" e acaba conhecendo as pessoas que admirava, o que o faz repensar sua vida. 

6. Ligados pelo Amor: Um filme com Lilly Collins, Logan Lerman, Nat Wolff, Liana Liberato (que são atores que eu amo), uma pequena participação de Stephen King e até mesmo o famoso Patrick Schwarzenneger (te desafio a pronunciar esse sobrenome), só podia ser perfeito mesmo. O filme é voltado para diversas formas de amor, seja de irmãos, pais e filhos ou de casais. Algumas histórias são meio clichê, outras nem tanto. Repetitivo ou não, vale muito a pena acrescentá-lo à sua lista.

7. Amor a Toda Prova: Na Netflix eu vi primeiro o nome original "Crazy, Stupid Love" e pensei: "Bah, que tri, tem a Emma Stone no elenco, adoro essa louca. Nunca tinha ouvido falar nesse filme...". Aí vi em português e lembrei que já li e ouvi o nome em todo lugar, mas como sou bem desatualizada em relação a filmes e séries, resolvi assistir. Descobri que tinha pegado ele pela metade outro dia na TV e quase desisti de assistir, mas tem a Emma Stone, né? Então vale a pena.

Sim, eu precisava ver essa cena de novo. Essa guria é muito arriada!
8. Para Roma com Amor: Como não querer assistir um filme com o Roberto Benigni (de A Vida é Bela), Ellen Page (também conhecida pela Juno), Jesse Eisenberg, Penélope Cruz e o famosíssimo Woody Allen no elenco? Confesso que não sei muito sobre o trabalho dele (nem sobre diretores e roteiristas em geral), mas sei que ele dirigiu Meia Noite em Paris, e mesmo se soubesse, não tem como renegar um filme que tenha o nome desse finado talento nos créditos. 

Talvez você não consiga entender as conversas de alguns desses filmes por falta de conhecimento em história, literatura, geografia, filosofia e sociologia (humanas em geral), mas não deixe de assistí-los por causa disso: todo conhecimento é bem vindo e o google sempre estará lá para responder as dúvidas que você adquiriu por não dar a mínima para os estudos. Ou por ter memória fraca (acontece).
Qual desses filmes é o seu favorito? Tem algum que não tenha visto ou algo para indicar? Responda aí nos comentários ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de me mandar pra puta que pariu, e dizer que eu sou uma escrota? Fala aí!